Depois de ontem anunciar em palco o Snapdragon 845, a Qualcomm revelou hoje bastantes mais detalhes sobre este futuro chip multifacetado que encontrará o seu caminho até aos flagships mais desejáveis de 2018. As novidades são bastantes, mas mais do que a típica subida de potência e maior poupança energética, o Snapdragon 845 é uma plataforma para uma nova era do multimédia que permitirá aos smartphones capturarem vídeo 4K HDR até 60fps.

Claro que este tipo de capacidade se fará a grande custo para a bateria e com um aquecimento consequente dos dispositivos. Complementarmente, a gravação de vídeos em 4K HDR a 60fps significa um enorme fluxo de dados e ficheiros de grandes dimensões, pelo que para tirarem proveito desta nova funcionalidade, os flagships de 2018 terão de ser verdadeiramente impressionantes por comparação aos melhores de 2017.

Novos núcleos Kryo, mesma litografia

O novo Snapdragon 845 será fabricado numa litografia de 10nm, deitando por terra as aspirações dos que pensavam numa litografia intermédia de 8nm. Ainda assim estamos a falar de um processo de fabrico de segunda geração, mais eficiente e capaz de permitir ao Snapdragon 845 uma eficácia 30% superior à do seu antecessor.

Os novos núcleos Kryo 385 dividem-se em dois clusters, com o superior a correr a 2.8Ghz e o outro a ficar-se pelos 1.8GHz para tarefas mais económicas. No centro dos novos Kryo 385 parecem estar os Cortex-A75 e Cortex-A55 que chegam assim finalmente ao mercado, se bem que numa forma bastante alterada, e possivelmente nunca saberemos com certeza quais os núcleos na base dos Kryo.

É curioso que tenhamos uma configuração 4-4 quando a tecnologia DynamIQ autoriza clusters assimétricas. Aqui é possível que a Qualcomm tenha preferido manter a configuração tradicional para maior eficiência energética com máximo de potência.

Adreno 630 focada na realidade aumentada e imagem

O novo Snapdragon 845 possui um amplo foco na realidade mista e processamento avançado de imagem, contando na sua estrutura com a nova Adreno 630. Porquanto a Qualcomm declara uma eficiência energética 30% superior à da Adreno 540, os seus pontos de interesse são a optimização para a realidade mista: a nova GPU possui capacidade para rastrear seis graus de liberdade e foveação, ou a capacidade para concentrar a renderização na zona onde os olhos do utilizador estão focados, poupando recursos nos detalhes fora do imediato campo visual.

O projecto Tango está definitivamente morto, e o Snapdragon 845 bem o prova, já que a Adreno 630 permite mapear uma divisão de uma casa em tempo real para aplicações de realidade aumentada.

Para a captura fotográfica, o novo Spectra 280 ISP é capaz de capturar 60fps a 16MP, realizando redução de ruído multiframe em tempo real, e possibilitando vídeos em câmara lenta de 480fps a 720p. Entretanto, o streaming de conteúdos HDR10 pode ser feito até resoluções de 4K.

Conectividade para lá do gigabit

O Snapdragon 845 substitui o excepcional modem X16 pelo novo X20 LTE que deverá superar o 1Gbps em redes LTE para chegar a 1.2Gbps. A diferença parece pouca, mas a velocidade máxima é apenas um ponto da performance: para a obter, o X20 recorre a uma maior gama de tecnologias, como 4×4 MIMO para combinar mais feixes de dados e obter uma velocidade média de download que deverá apreciavelmente superior, ao conseguir aproveitar melhor diferentes vias de entrada e saída de dados.

Ao combinar espectro licenciado e espectro não licenciado, o modem X20 LTE também pretende facilitar às operadoras a tarefa de fornecer aos utilizadores serviços de downstream na categoria gigabit, melhorando as velocidades de download no geral e numa maior gama de condições não ideais.

Chip de segurança dedicado

O Snapdragon 845 é o primeiro chip da Qualcomm com uma unidade de processamento de segurança que manterá melhor protegidos os dados biométricos dos utilizadores, além dos dados de apps e pagamentos contactless.

O Snapdragon 845 agora anunciado é um conjunto altamente complexo de subsistemas que não deixam de fora a inteligência artificial, com mais tarefas de aprendizagem automática atribuídas ao processador e com menor dependência de servidores na nuvem. De resto, as suas características fundamentais mostram um chip bastante futurista que pretende dar respostas às tendências de 2018 em termos de realidade mista, multimédia de elevada resolução e segurança.

Um tão amplo grupo de características é difícil de igual, pelo que será interessante ver que tipo de resposta poderão dar os seus maiores rivais, incluindo a Intel, que poderá apresentar rapidamente alternativas muito viáveis, pelo menos no domínio dos modems.

DEIXE UMA RESPOSTA