Eis a sexta geração do Moto G, família iniciada em 2013, e que se propunha a ser uma aposta barata mas completa da Motorola, posicionada de forma a dar aos utilizadores um conjunto de características completo, sem custar o mesmo que um topo de gama. Ora, cinco anos depois, nunca tantas tecnologias se viram juntas a bordo de smartphones, mas a nova família Moto G6 consegue corresponder ao desafio, integrando tecnologias e funcionalidades que estaríamos à espera de ver apenas nos melhores smartphones do mercado.

Isto é tão verdade para o Moto G6, quanto para o Moto G6 Plus, separados apenas por €50. O que distingue então estes dois equipamentos? Qual dos dois deves escolher?

Design e construção

  • Moto G6 e Moto G6 Plus: moldura em alumínio e painel traseiro em vidro

A qualidade de construção tem melhorado significativamente nos segmentos mais baratos da tecnologia mobile, mas se muitas marcas mostram hoje em dia qualidade significativa, os designs podem por vezes ser genéricos e repetitivos.

Isto não é verdade no caso dos Moto G6 e Moto G6 Plus, que podemos considerar absolutamente inconfundíveis. A construção é igualmente boa em qualquer um destes irmãos com um painel de vidro Gorilla Glass na face traseira, curvo nas laterais onde encontra a moldura de alumínio. A traseira é dominada pelo generoso módulo circular para as duas câmaras, um precioso ponto de design que separa os Moto dos equipamentos que em 2018 reciclam o iPhone.

Ambos os dispositivos são ergonómicos e sólidos, mas face aos Moto G5 de 2017, introduzem uma grande evolução estilística à frente, com a chegada de um ecrã 18:9 em ambos os dispositivos. Os rebordos são significativamente mais reduzidos e o leitor de impressões digitais mais compacto. Tanto num caso, quanto no outro, estes ecrãs são FHD+, mas no caso do Moto G6 as dimensões são de 5.7 polegadas, enquanto o Moto G6 Plus oferece 5.99 polegadas.

 

Hardware e performance

  • Moto G6: Snapdragon 450, 4GB de RAM e 32GB de armazenamento interno, bateria de 3000mAh
  • Moto G6 Plus: Snapdragon 630, 4GB de RAM e 64GB de armazenamento, bateria de 3200mAh

Mais do que as dimensões, há um enorme diferenciador no caso dos processadores.

O Moto G6 chega equipado com um moderno Snapdragon 450, sendo dos primeiros equipamentos a chegar com o novo processador da Qualcomm, um octa-core com Cortex A53 a 1.8GHz e que se caracteriza por possuir um pack completo de especificações, incluindo solução de áudio Qualcomm Aqstic, Adreno 506, DSP Qualcomm Hexagon e um modem X9 LTE com downstream de 300Mbps. O chip é compatível com Qualcomm Quick Charge 3.

Por comparação, o Moto G6 Plus recebe um processador significativamente mais potente, na forma do Snapdragon 630. Um octa-core também com oito núcleos Cortex A53, mas a uma maior frequência de 2.2GHz, o 630 apresenta ao mesmo tempo uma gráfica mais potente na forma da Adreno 508, um modem X12 LTE com 600Mbps de velocidade máxima, e a bateria pode ser carregada com Quick Charge 4.

Quanto às memórias, o Moto G6 pode ser configurado com 3 ou 4GB de RAM e 32 ou 64GB de armazenamento interno, enquanto o Moto G6 Plus pode ir mais longe para um máximo de 128GB de armazenamento e 6GB de RAM, mas em Portugal teremos acesso à versão com 4GB de RAM e 64GB de armazenamento interno.

Quanto à performance bruta do dia a dia, o Snapdragon 450 é um chip bastante aceitável e no Moto G6 oferece-nos uma performance globalmente boa, em boa parte porque a Motorola opta por uma skin quase pura do Android. É, inquestionavelmente, o processador mais completo que conseguimos encontrar neste segmento. No entanto, o Snapdragon 630 é significativamente mais capaz e isso nota-se com o carregamento mais rápido das apps e uma performance com menos soluços e abrandamentos.

Snapdragon 450

Snapdragon 630

Arquitectura

8 Cortex A53 a 1.8GHz

8 Cortex A53 a 2.2GHz

GPU

Adreno 506

Adreno 508

DSP

Hexagon

Hexagon 642

Áudio

Qualcomm Aqstic

Qualcomm Aqstic e aptX

Bluetooth

4.1

5

Modem

X9 LTE 300Mbps

X12 LTE 600Mbps

 

Em ambos os dispositivos, a bateria também difere, com o Moto G6 a oferecer 3000mAh e o Moto G6 Plus a dar algo mais, com 3200mAh. Até que ponto isto se traduzirá em termos de ganhos adicionais de autonomia é algo que teremos que ver mais adiante, mas em qualquer um dos casos a bateria é muito razoável.

Se o Moto G6 é um smartphone muito digno e capaz neste aspecto, o Snapdragon 630 sobe claramente a parada.

Câmaras

  • Moto G6: 12MP f/1.8 + 5MP, vídeo FHD; frontal de 8MP com flash
  • Moto G6 Plus: 12MP f/1.7 + 5MP, vídeo 4K; frontal de 8MP com flash

 

Chegados às câmaras, os dois Moto são relativamente semelhantes. Ambos chegam com uma parelha de 12MP+5MP, mas o G6 Plus leva alguma vantagem porquanto a sua câmara principal possua uma abertura de f/1.7 enquanto a do G6 fica lá perto com f/1.8. À frente, nenhuma diferença: ambos possuem uma câmara de 8MP com abertura f2.2 com flash.

 

As maiores diferenças entre ambos os dispositivos prende-se com o processador, já que o Snapdragon 630 possibilita a captura de vídeo 4K, enquanto o Moto G6 terá que ficar pelo FHD a 30/60p.

Tanto num smartphone, quanto no outro, a app fotográfica permite um controlo manual da fotografia, com ajustes manuais de exposição, equilíbrio dos brancos, autofoco ou foco manual, e integram uma Câmara Inteligente que consegue identificar objectos.

É expectável que qualidade fotográfica do Moto G6 Plus seja superior à do Moto G6, apesar das semelhanças. No final de contas, o Snapdragon 630 possui um melhor DSP e a performance extra para uma operação mais rápida e fluída da app da câmara.

Software e interface

  • Moto G6 e Moto G6 Plus: Android 8.0 Oreo

Por vezes damos por nós a encontrar smartphones da mesma família com abordagens bem diferentes em termos de software. Não é o caso dos Moto G6 e Moto G6 Plus, sendo verificável que a Motorola investiu por igual.

Ambos os dispositivos contam com o Android 8.0 Oreo numa skin muito fiel ao Android puro e com pouca duplicação de apps. A Motorola opta no entanto por incluir a Moto app que permite configurar gestos e outras funcionalidades, ou o Dolby Atmos com configurações ajustáveis. O destaque vai para para a app fotográfica que permite a qualquer um dos dispositivos fotografar com bons controles manuais, uma atenção ao detalhe que passa ao lado de diversas marcas que separam radicalmente as funcionalidades dos dispositivos de diferentes segmentos.

 

Conclusão: qual o Motorola para mim?

Vantagens do Moto G6

Vantagens do Moto G6 Plus

Mais barato

Ecrã maior

Mais compacto

Melhor câmara

Melhor performance global

Modem mais rápido

Com uma diferença de 50€ entre eles, os dois Motorola oferecem uma experiência Android completa. Pelos seus €249, o Moto G6 já oferece um grupo bastante amplo de funcionalidades modernas, do ecrã 18:9 às câmaras duplas, passando pela tecnologia NFC útil para pagamentos contactless. É justo dizer que um utilizador moderado que não se queira sentir limitado pode ver no Moto G6 a opção mais útil para as suas necessidades, enquanto outros poderão ver diversas vantagens no seu tamanho mais completo. O melhor desta opção é que o Moto G6 em nada compromete, e temos o design e qualidade de construção do G6 Plus.

E no entanto, para quem necessita da performance extra do Snapdragon 630, o Moto G6 Plus é claramente a opção. As suas vantagens são notáveis para quem procura autonomia sem compromissos, e a capacidade extra do Snapdragon significa uma utilização mais ágil e uma câmara com qualidade fotográfica superior, graças ao hardware mais avançado.

DEIXE UMA RESPOSTA