Será que me atrevo? Será que me atrevo mesmo a colocar frente a frente o patinho feio da gama alta e o flagship da marca de culto do momento? Sony Xperia XZ2 e Xiaomi Mi 8 são dispositivos da mesma categoria de mercado, no entanto apresentam abordagens completamente diferentes quanto ao que querem oferecer e a quem se dirigem. O resultado é que entre os dois existe uma diferença de mais de €200 de diferença, o suficiente para comprarmos um excelente smartphone de gama de entrada. Estará a Sony a ser demasiado cara? Será o Xiaomi Mi 8 inimitavelmente barato? Ou há razões para tamanha diferença?

 

Características principais

Modelo Xiaomi Mi 8 Sony Xperia XZ2
Dimensões 154.9 x 74.8 x 7.6mm 153 x 72 x 11.1mm
Peso 175g 198g
Construção Alumínio Série 7000, painel em Gorilla Glass 5 Alumínio e Gorilla Glass 5 com protecção IP68
Ecrã Super AMOLED de 6.21 polegadas, 1080 x 2248 pixéis, HDR10 e DCI-P3 IPS LCD de 5.7 polegadas, 1080 x 2160 pixéis, HDR BT.2020
Sistema operativo Android 8.1 Android 8.0
Processador Qualcomm Snapdragon 845 Qualcomm Snapdragon 845
Memória 64/128/256GB, 6GB de RAM ou 128GB, 8GB RAM sem microSD 64GB, 4/6GB de RAM, microSD até 512GB
Câmaras principais 12MP, f/1.8, com pixéis de 1.4µm, OIS de 4 eixos, foco dual pixel

12MP, f/2.4 com pixéis de 1.0µm, zoom óptico

19 MP, f/2.0 com pixéis de 1.22µm, foco por detecção de fases preditivo e laser
Flash Dual-LED LED
Vídeo [email protected], [email protected]/120/240fps [email protected], [email protected], [email protected] [email protected]
Câmara frontal 20 MP, f/2.0; [email protected] 5 MP, f/2.2, [email protected]
NFC Sim Sim
Rádio Não Não
USB USB-C 1.0 USB-C 1.0
Bateria Polímeros de lítio, 3400mAh com QC4.0+ Iões de lítio, 3180mAh com QC3

O design

Esta é difícil. Ambos os dispositivos são bonitos – muito bonitos até – e com acabamentos soberbos, mas o Sony Xperia XZ2 é inquestionavelmente mais distinto e perfeitamente inconfundível. O seu design bojudo não é consensual, mas a localização da câmara e do leitor de impressões digitais mais ao centro do painel traseiro numa linha que se assemelha a uma afirmação ou símbolo de pontuação que quer ser notado certamente contribuem para um dos smartphones mais reconhecíveis de 2018. O melhor, no entanto, é o ecrã sem notch, garantindo que o Xperia XZ2 não se confunde em momento algum com um iPhone!

Esse é o maior problema do Xiaomi Mi 8. O seu design confunde-se demasiado num mar de dispositivos que possuem traços gerais idênticos. No reverso da medalha, é realmente mais prático que o XZ2 que oscila nas superfícies planas e tem o leitor biométrico numa posição que obriga à colocação do indicador numa posição pouco intuitiva. O Xperia é, no entanto, bastante confortável nos restantes aspectos, com a sua curvatura a seguir louvavelmente a forma natural da mão, pelo que muito depende do modo como pretendemos utilizar o nosso smartphone.

 

Performance e autonomia

Os dois dispositivos possuem hardware bastante semelhante, se bem que não idêntico, porque o Xiaomi Mi 8 leva vantagem em termos de RAM, mobilizando um máximo de 8GB quando o Xperia conta com “apenas” 6GB na sua melhor configuração, e sempre com um máximo de 64GB de armazenamento interno expansível. Do ponto de vista puro da batalha pelas especificações, o Xiaomi leva vantagem, e com toda a certeza terá alguma vantagem em termos de multitasking. No entanto, estará o Xperia assim tão em desvantagem?

No quotidiano, este diferencial de RAM não se nota, e o Xperia mobiliza uma interface extremamente polida, leve e limpa, sem lag discernível. Acima de tudo, o Xperia é de uma estabilidade a toda a prova; a minha experiência com estes dispositivos pontua por um mínimo de bugs e estabilidade máxima. Já o Xiaomi, tive que o reiniciar uma ou outra vez por partes da UI ficarem aparentemente congeladas.

Quando passamos para os jogos, mais uma vez ambos os equipamentos funcionam de modo muito semelhante sem diferenças apreciáveis, com um comportamento irrepreensível quando colocamos jogos como o Asphalt 9 ou Ark no máximo que estes poderosos jogos conseguem debitar em termos de animações e grafismos. O ponto aqui é que se optarmos pelo Xperia, não vamos acordar amanhã a pensar “raios, os 4GB a menos notam-se”.

Fora o teste do olhómetro, não quis deixar de passar pelo menos um benchmark por ambos os dispositivos, e optei pelo AnTuTu por ser um benchmark bem conhecido, cujos valores podem ter algum significado palpável para os utilizadores. E aqui podemos ver como o Xperia se apresenta com valores bastante semelhantes ao Xiaomi, não obstante menor quantidade de memória disponível. Em especial, a performance gráfica da Adreno 630 parece ser superior no Xperia, embora na prática (a olho), nada se note realmente:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui é importante destacar e dispersar uma discussão que tem envolvido o Mi 8: a possibilidade de throttling ao processador e que o coloca (supostamente) ao nível de um Snapdragon 835. Não é o que este teste mostra e a performance está acima de qualquer suspeita, mas após corrermos testes neste sentido, após 10 minutos verificamos que o Mi 8 se encontrava com o processador a 70% da capacidade total, enquanto o Xperia se mantinha algo acima, nos 79%.

Do lado da autonomia, se me tivessem perguntado algo por altura do Z5 e mesmo do XZ original, eu diria que a Sony necessita aumentar seriamente a autonomia dos seus dispositivos. No entanto, desta vez parece que a gestão da bateria se encontra mesmo entre as melhores do mercado e, apesar dos seus 3180mAh face aos 3400mAh do Mi 8, a autonomia de ambos é praticamente idêntica e sem ter feito testes de esforço que não a utilização quotidiana suspeito que não será por aí que os aparelhos se distinguem.

 

Dois universos fotográficos

O Xperia XZ2 apresenta uma câmara de 19MP f/2.0, enquanto o Xiaomi Mi 8 apresenta duas câmaras numa postura mais moderna, sendo uma câmara uma unidade de 12MP f/1.8 com OIS e uma câmara de 12MP f/2.4 que oferece uma teleobjectiva. No papel, o Xiaomi leva vantagem, e efectivamente mobiliza igualmente uma app fotográfica mais consistente e completa que permite um controlo mais fino do resultado final. A sua capacidade para fazer zoom óptico graças à segunda câmara é um destaque inegável, enquanto a “IA Camera”, uma implementação de inteligência artificial para detecção de cenas é particularmente interessante.

Do lado do Xperia XZ2, o foco é outro, e o XZ2 mostra excelente capacidade para rastrear um alvo em movimento e o manter agarrado ao distinguir bem a sua forma face ao plano de fundo. No caso do vídeo, o XZ2 leva alguma vantagem ao conseguir filmar [email protected]/60/960fps, enquanto o Xiaomi não capta vídeo a 60fps, e as opções de câmara lenta são de 120 ou 240fps. Ambos conseguem gravar vídeo 4k a 30fps.

A qualidade fotográfica dos dois dispositivos é bastante aproximada, o suficiente pelo menos para que os olhos menos críticos não verifiquem diferenças de maior, embora nos cenários onde as texturas sejam mais importantes, a capacidade da Sony para capturar detalhe é soberba. A propósito disto, poderemos comparar as duas imagens da folha em baixo, mas deixarei acima de tudo que as imagens abaixo falem por si mesmas.

Galeria do Sony Xperia XZ2:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Galeria Xiaomi Mi 8:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Porque é que o Xperia XZ2 quer mais €200

Não, a Sony não está simplesmente a ser mais cara por motivos estranhos. Face ao Xiaomi Mi 8, o Xperia XZ2 apresenta algumas características ausentes do seu concorrente, nomeadamente a certificação IP68 contra água e poeira.

Mas apresenta igualmente dois excelentes altifalantes estéreo frontais que debitam um som de elevada qualidade e que são praticamente impossíveis de se abafar acidentalmente, graças à sua localização. O Dynamic Vibration System é a cereja no topo do bolo, ainda que necessite de mais afinações. Particularidade que pode ter sido acidental, a superfície côncava do Xperia significa que quando pousado numa superfície, o som reverbera sobre a superfície e se amplifica. Quem quiser usar auscultadores conta com a enorme experiência da Sony na melhoria do áudio com o DSEE HX e ClearAudio+ que fazem um trabalho soberbo.

Por comparação, o Xiaomi possui um altifalante mono, com bom volume, mas som pouco interessante no geral, sendo além do mais fácil de abafar.

Uma terceira característica importante que o Xperia XZ2 possui que o seu rival neste comparativo não tem, é o carregamento wireless. Existem actualmente monitores com bases para carregamento wireless e a opção parece ser simplesmente cómoda para muita gente.

Finalmente, é importante realçar novamente que o Xiaomi Mi 8 não possui ranhura para cartão microSD, factor que pode ser negativo conforme as necessidades dos utilizadores.

Onde o Xiaomi Mi 8 domina por completo

Nem só o Sony tem as suas características únicas. O Xiaomi Mi 8 oferece um interessante leitor ocular com infravermelhos que acrescenta uma grande comodidade ao desbloqueio do ecrã. Na prática, fiquei surpreendido pela eficiência do sistema, que reage quase instantaneamente quando detecta o nosso rosto, e manteve a eficiência em condições de luminosidade extremamente baixa, como o interior de um veículo. Nada mau!

Ainda menos mau é que o Xiaomi Mi 8 é dos poucos dispositivos compatíveis com Quick Charge 4.0+, se bem a tecnologia apresente ainda poucas vantagens, em virtude da falta de carregadores de terceiros para este padrão, e a Xiaomi oferece apenas um carregador QC 3.0.

O ecrã do Xiaomi Mi 8 é simplesmente melhor. A Sony costuma ter bons LCD, mas o OLED do Xiaomi supera-o graças a um contraste muito superior e gama dinâmica mais ampla, autorizando maior expressividade e detalhe na visualização de vídeos e jogos.

Finalmente, uma incógnita: o Xiaomi Mi 8 possui o primeiro sistema GPS dual-band num smartphone, o que em teoria permitirá uma rota mais exacta e com aquisição mais rápida, inclusivamente em ambiente citadino com mais obstáculos. No entanto, ainda faltam dados concretos para determinar quão importante é esta implementação.

O Xiaomi Mi 8 é um dos melhores Android do momento (mas podia ser muito melhor)

 

Conclusão

Olhando para estes dois smartphones tão diferentes, é preciso admitir algo desde logo: o Sony Xperia XZ2 não é um smartphone verdadeiramente caro, no sentido em que oferece exactamente o mesmo que smartphones mais baratos. Face ao Xiaomi Mi 8, o Xperia oferece diversas ferramentas que o seu rival não possui, incluindo protecção ambiental, áudio significativamente melhor, carregamento wireless e armazenamento expansível.

Entretanto, o Xiaomi Mi 8 é inegavelmente um topo de gama com um preço imbatível, que oferece ao mesmo tempo excelente construção e performance de topo, com um atractivo potencialmente maior para quem tem um orçamento determinado. De facto, do ponto de vista da relação qualidade-preço, o Xiaomi Mi 8 é simplesmente extraordinário.

Tudo somado, o Xperia XZ2 apresenta mais características e funcionalidades que o seu rival. Valem estas especificações estes (normalmente) €200 de diferença? A resposta só pode ser dada pelas prioridades que cada um terá, e mais do que um mero comparativo dos preços, percebemos que estes dois equipamentos são amplamente diferentes no que querem oferecer ao utilizador.

Deixo uma nota de rodapé: esta será a melhor altura para comprar um XZ2, considerando que pode ser encontrado nos principais retalhistas por €599,99, menos de €100 sobre um Mi 8 de modelo base, por um equipamento que não me parece ainda ultrapassado neste momento.

DEIXE UMA RESPOSTA