Se existem iniciativas que valem a pena, esta é uma delas. As preocupações ambientais não são um luxo, mas uma necessidade, que todos nós temos a obrigação ter. Contudo, isto só não chega, às vezes é preciso ter a iniciativa de marcar a diferença. A ideia por trás do Green Tech Challenge é revolucionar o mundo dos negócios verdes, tornado-os lucrativos, de modo a que todos possam subsistir e marcar a diferença. Com a missão de fazer dos “negócios verdes bons negócios”, apostando nas boas ideias e tornando-as rentáveis.

Green business good business

A ideia partiu de Frederik van Deurs e de Martin Peterson, que pretendiam juntar empresas, mentores e investidores, num só local, cujo objectivo era permitir às startups apresentarem os seus trabalhos e contarem a sua história. No final existe a possibilidade de receberem injecções de capital que podem ir dos 100.000€ até aos 5M€. O evento já passou por cidades como Berlim, Helsínquia, Copenhaga, Londres e, desde 2017, Lisboa.

Depois de contar com 14 startups em 2015, o crescimento tem sido notável com 60 startups em 2017 e a expectativa de chegar às 108 em 2018. Os resultados têm sido bastante expressivos ano após ano, com mais de 70% das startups a conseguirem um investimento médio de cerca de 500 mil euros.

Green Tech Challenge Portugal

Vamos agora falar um pouco mais sobre o evento da Green Tech Challenge em Portugal, ao qual o TekGenius teve o prazer de ser convidado e, com tal, não podiamos deixar de marcar a nossa presença.

O evento decorreu ao longo de 4 dias (19-21 de Março) na Microsoft Portugal, onde nos primeiros 3 dias as startups seleccionadas reuniram-se com consultores de áreas como Direito do Ambiente e Energia, Propriedade Industrial, Marketing, Contabilidade, Relações Públicas, Consultoria de Gestão, Banca e Tecnologias da Informação. Todo este conhecimento adquirido foi posteriormente usado no pitch final do 4º dia para obter os financiamentos pretendidos.

A conversa com um dos sócios fundares, Frederik van Deurs e Vera Garcês

Frederik van Deurs sócio fundador, enquanto Vera Garcês é a Lead Business Developer para o Sul da Europa, América do Sul e África.

Frederik acredita que os negócios são a melhor forma para mudar o planeta e que, os incentivos para os negócios verdes e soluções sustentáveis, podem realmente transformar o mundo num local melhor. O objectivo principal desta iniciativa é que as próximas gerações possam respirar ar puro e ter água limpa para consumo, que apelidou de “coisas malucas” e uma possibilidade “pouco realista”.

Mostrar o caminho para o sucesso das boas ideias, foi assim que descreveu o que tentam fazer, tornando os negócios verdes em bom negócios. Ajudar os criadores das ideias a focarem-se nas mesmas e dar-lhes acesso aos melhores conselheiros de várias áreas. Em Portugal contamos com  J. Pereira da Cruz (patentes), Telles de Abreu e Advogados (direito do ambiente), Miranda & Associados (protecção de dados), Canela PR (relações públicas), WINNING Scientific Management (consultora de gestão), FollowUs (fundos de investimento), BBS – Best Business Solutions (contabilidade), Microsoft e Fidelidade (ambos patrocinadores).

Terminámos a conversa a falar sobre as ideias favoritas de Frederik, as quais a Green Tech Challenge pode ajudar. Fresh Land, uma empresa que permite fazer a ligação entre supermercados e produtores, Greencity Solutions, uma parede de musgo que limpa o ar equivalente a 2 campos de futebol cheios de árvores, e Little Sun, um colar com células solares que pode ser usado como lâmpada.

FONTEGreen Tech Challenge
COMPARTILHAR
Sou estudante de Engenharia Electrotécnica e de Computadores do Instituto Superior Técnico. Desde cedo ganhei um gosto pelas novas tecnologias e a comunidade tecnológica, como tal não podia deixar de abraçar este projecto!

DEIXE UMA RESPOSTA