Os smartphones Cat têm um historial de resistência ao serviço de múltiplas profissões de linha da frente que requerem um smartphone ultra resistente, capaz de resistir a situações adversas que destruiriam equipamentos mais vulneráveis. No entanto, foi-me dada a oportunidade de analisar o S62 Pro e, mesmo dentro do catálogo da Cat, este é um smartphone muito especial, graças à sua câmara térmica que se afirma como uma verdadeira game changer.

O Cat S62 Pro é certamente um smartphone muito especial, mostrando um design muito contemporâneo e elegante para um smartphone robusto, segmento de equipamentos que prima geralmente por linhas pouco práticas. O exterior em metal fosco e o painel traseiro em policarbonato de alta aderência não escondem, ainda assim, que o S62 pode ser prático, mas é igualmente um sobrevivente. Quedas até dois metros, lavável sob água: o S62 Pro aguenta tudo. Mesmo a sua câmara térmica tem um lugar bem clássico no módulo fotográfico, mas atrás desta discrição, tem capacidades muito próprias. O seu potencial é enorme para um conjunto muito alargado de areas profissionais, incluindo forças de segurança, mas pode tanto ser uma ferramenta diária, quanto um salva-vidas.

O FLIR Lepton 3.5

A FLIR é um nome bem conhecido no mundo tecnológico. A marca fabrica um conjunto razoavelmente amplo de câmaras térmicas independentes e que podem ser acopladas a um smartphone via porta USB. É uma excelente ideia, mas é mais uma peça no bolso, mais um encaixe que se pode danificar, sem falar que os smartphones aos quais estas câmaras serão acopladas poderão não ser exatamente adequados para ambientes mais agressivos.

Não seria muito mais interessante simplesmente integrar uma câmara FLIR num smartphone completo e refinado para utilizações extremas?

É esta a ideia que levou à criação, primeiro do Cat S61 e, depois, do S62 Pro.

O segredo do Cat S62 Pro é o sensor FLIR Lepton 3.5, que aumenta substancialmente a resolução térmica face a gerações anteriores com uma resolução de 160×120, deteta fontes de calor até 30m de distância e pode agora registar temperaturas até 400ºC, com um limite inferior de -20ºC no modo normal low gain, enquanto o modo high gain tem uma gama de temperaturas entre -10ºC e 120ºC com aproximadamente 5ºC de margem de erro. A tecnologia MSX (Multi Spectral Dynamic Imaging) é um dos grandes argumentos da implementação do Lepton: a tecnologia permite combinar uma fotografia térmica com as imagens de uma câmara normal, criando um overlay de detalhe sobre os dados térmicos para nos dar melhor noção dos contornos dos corpos emissores de temperatura. Este detalhe adicional é imprescindível para enviarmos as imagens e relatórios para terceiros, oferecendo-lhes uma melhor visão do equipamento e da sua performance.

São uns predicados muito porreiros, e a Cat tem a sua exclusividade durante um ano.

Cada palete de cor, uma utilidade

Colocando a câmara térmica no centro dos argumentos do Cat S62 Pro, Cat e FLIR pensaram muito bem na implementação e a primeira coisa que notamos é que existe um número de paletes de cor com que pintar as diferentes temperaturas numa imagem.

Nenhuma está aqui por acaso, nem se trata de uma opção estética: cada palete de cores tem uma aplicação específica, graças ao potencial de captura de detalhes específicos de cada combinação de cores.

Por exemplo, a palete ferrosa tem a típica graduação de cores a que eu gosto de chamar “visão de predador”, que mostra as temperaturas baixas em tons frios, enquanto as temperaturas altas se refletem em tons quentes: vermelhos, laranjas e amarelos fáceis de interpretar. A opção Rainbow é uma versão desta implementação, mas pensada para situações onde o contraste térmico é menor.

A opção Black Hot, por comparação adequa-se mais a caçadores ou forças da lei pela sua capacidade de destacar o calor corporal num tom negro de alta visibilidade. A lista abaixo dá-nos uma excelente ideia dos cenários em que cada palete oferece mais vantagens e, ao mesmo tempo, a quantidade de situações em que a câmara térmica pode ser útil.

Não é preciso sermos engenheiros aerospaciais

A app myFLIR do CAT S62 Pro tem alguns truques francamente soberbos para profissionais de vários níveis.

Para efeito de relatórios, é possível marcar pontos na imagem, indexando as diferentes temperaturas em vários componentes. Estas marcações podem ser pontos simples ou áreas ajustáveis de temperatura média, chamadas de áreas de interesse (ROI). Uma escala também pode ser mostrada e programada quanto às tolerâncias, com maior ou menor range de temperaturas, de forma a termos uma leitura mais detalhada de uma máquina ou área. Estes dados podem ser convertidos em relatórios PDF diretamente a partir da app e ficam prontos para enviar para quem necessário.

A câmara permite-nos capturar uma imagem térmica estritamente falando, ou com overlays que podem facilitar em muito a interpretação da imagem e dos dados que contém. Um dos modos de overlay é o MSX que sobrepõe os contornos dos objetos à imagem térmica. O outro é o novo Alpha Blending, que funde as imagens da câmara normal com as da imagem térmica, criando uma imagem mista muito fácil de interpretar, mas que mantém todas as possibilidades de identificação de pontos e áreas de interesse de temperatura. Em qualquer um dos casos podemos ajustar a fusão em termos de intensidade e igualmente alinhar ambas as imagens via um simples slider.

Uma outra funcionalidade importante é podermos definir um alarme para uma temperatura ou intervalo de temperaturas, que fará o smartphone vibrar quando captar a temperatura definida, alertando assim o utilizador para um problema.

A implementação FLIR é tão simples e prática que não precisamos trabalhar numa plataforma petrolífera ou num centro aerospacial para dar utilidade à câmara FLIR. A Cat fala em profissionais de saúde, bombeiros, autoridades, mas esta câmara térmica será incrivelmente útil para profissões bem mais quotidianas, como trabalhadores da construção civil, incluindo eletricistas, canalizadores e outros. As utilizações da câmara térmica são simplesmente muito amplas.

Por exemplo, a câmara consegue detetar oscilações de temperatura razoáveis nas superfícies, como sejam os canos de água quente da nossa própria habitação. Ninguém quer arriscar uns furos que nos inundem a casa e, por isso, bastam alguns minutos de água quente a correr para podermos utilizar a câmara térmica para mapear o caminho destes canos pela nossa casa. É tão simples quanto isso.

Encontrar o caminho pela casa dos canos de água quente é fácil.

Vamos, então, imaginar que temos algures uma fuga de água que ainda não se tornou visível. A água na parede ou infiltrada nas madeiras poderá causar oscilações de temperaturas que serão detetadas pela câmara. Graças às propriedades de alguns gases, podemos igualmente detetar uma fuga invisível a olho nu e, no caso de algo tão simples quanto uma bilha, é fácil apontar a câmara e perceber quanto gás temos ainda de sobra.

Quanto café é café suficiente?

Para os eletricistas, detetar o sobreaquecimento de componentes numa máquina ou na instalação elétrica torna-se possível, tal como diagnosticar curto-circuitos.

Estará a nossa instalação elétrica sobre demasiada carga?

Até lá, parece que a coisa mais quente em minha casa é mesmo a minha gata sonolenta.

Potencial salva-vidas

Como nos indicava um engenheiro da Cat, a câmara térmica não tira fotografias convencionais, não recolhe luz, apenas a emissão de calor dos objetos.

Isto significa que conseguem com toda a facilidade tirar uma fotografia na mais perfeita escuridão para terem uma ideia muito razoável do espaço que vos rodeia. É uma funcionalidade tão útil para irem passear o cão às escuras, quanto para encontrarem o vosso caminho de saída de uma situação caótica, no pior cenário possível.

O ideal seria evitar este cenário, certo? Um perigoso sobreaquecimento, uma fuga, o Cat S62 Pro pode detetar qualquer um e impedir uma escalada de efeitos devastadores.

Conclusão

Podem perguntar-se para que precisam de um smartphone com uma câmara térmica. Bom, como um leigo que sou, consigo pensar em uma vintena de aplicações diferentes, desde reparações domésticas, até todo o tipo de monitorização de hardware, deteção de fugas de gases e líquidos, inspeções e toda uma panóplia de situações de emergência. Francamente, se utilizam uma câmara térmica regularmente, nem tenho de explicar para que serve, e poderem ter uma no próprio telemóvel são menos ferramentas para transportar, menos complexidade na gestão e partilha de dados, menos tempo perdido. Se para muitos, tempo é dinheiro, para uns tantos outros, tempo pode salvar vidas e prevenir acidentes.

É por isso que temos de olhar para a câmara térmica do Cat S62 Pro com muito respeito: não é simplesmente uma curiosidade, um gimmick. É sim, uma ferramenta bem implementada, prática, e que, para lá do óbvio, está limitada nas suas capacidades apenas pela nossa imaginação e necessidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here