O BMW i3S chega ao mercado três anos depois do lançamento do primeiro i3. Esta é uma versão desportiva do já conhecido i3: mais potência, mais perto do chão e umas jantes maiores. Tudo isto contribui para uma maior diversão na condução, sendo que o essencial mantém-se: zero emissões de gases poluentes, um carro amigo do ambiente e um silêncio absoluto, que só é interrompido pelo rolar dos pneus na estrada. Um fim de semana com muitos quilómetros acumulados e a certeza de que o i3 é sem dúvida alguma um dos melhores eléctricos no mercado.

O que é este BMW i3S?

A BMW tem o hábito de pôr no mercado carros que sejam interessantes de conduzir. Carros que façam o condutor ficar agarrado ao volante e querer acumular quilómetros atrás de quilómetros, carros que sejam capazes de induzir no condutor o máximo prazer de condução. Entretanto o mundo automóvel começou a sua mudança para motores eléctricos, e o medo de todos aqueles que gostam de conduzir, era que os carros ficassem chatos. Com o i3, a BMW conseguiu evitar isso. Um carro com um design peculiar e incapaz de agradar a todos, mas que acima de tudo conseguia cativar os condutores e fixar o olhar de todos os que viam o carro passar.

Três anos depois, a BMW decidiu renovar o i3. Algumas alterações estéticas, nada de muito relevante, mas acima de tudo adicionou um novo modelo que conta com a letra “S” como extra. Este BMW i3S é um carro mais rápido, mais baixo e ligeiramente mais largo. Três componentes fulcrais que confirmam que o S é mesmo de Sport (mais óbvio era impossível).

A nível de motor, o BMW i3S conta agora com 184cv, mais 13 que a versão normal. Juntem a isso uma suspensão mais baixa que coloca este BMW i3S 10mm mais perto do chão que a versão normal, pneus mais largos atrás (195/55 R20) e um eixo traseiro também mais largo (40mm devido a extensores). Para além disso, estamos a falar de um motor eléctrico, de disponibilidade imediata. Sabem o que isto significa? Diversão. Seja em estradas com bastantes curvas, seja simplesmente num semáforo onde deixamos para trás todos os outros, o i3S é diversão pura! É algo que é difícil de descrever e que só quando o conduzimos conseguimos realmente perceber. No fundo, a “caixa de fósforos” (nome que muita gente lhe deu quando eu andei com ele pelas ruas de Lisboa e Sintra) deixa todos de boca aberta assim que pressionamos o pedal do acelerador.

Mas nem tudo são rosas. É que a acompanhar esta vertente desportiva, a BMW não introduziu baterias maiores. Sim, as baterias são exactamente as mesmas que na versão lançada há três anos, baterias de 33,2kWh. No entanto, é possível adquirir o i3S com um extensor de autonomia, o mesmo motor a gasolina de 650cc, capaz de adicionar 120km à autonomia total.

Também a nível de interiores não há grandes diferenças para a versão normal, destaque apenas para a inscrição i3S que aparece no tapete da frente do carro.

Um fim de semana de i3S – como foi?

Para quem conduz diariamente e tem prazer em conduzir, acho que é justo dizer-se que carros eléctricos e diversão são duas palavras que não ligam facilmente. Não que esteja a dizer que os carros eléctricos são uma seca, porque isso não é verdade. A maior parte deles conta com imensa tecnologia e, a disponibilidade do motor é interessante para brincar de vez em quando. No entanto, as baterias ainda não são capazes de aguentar uma condução mais agressiva, dado que o consumo aumenta de forma exagerada e ficamos bastante limitados no número de quilómetros que podemos fazer. Para além disso, a maior parte dos carros eléctricos não estão pensados para uma condução mais desportiva, nomeadamente a nível do comportamento dinâmico. Claro que há excepções à regra, como é o caso dos Tesla, ou deste BMW i3S.

Quando começamos a conduzir o novo BMW i3S, é notória a agilidade extra que este dispõe em comparação com a versão anterior. Uma suspensão modificada e um novo controlo de estabilidade (que vai ser implementado em todos os veículos BMW no futuro), permitem obter mais desde “brinquedo”, com uma frente que deixou de saltar tanto quando encontra as adversidades do asfalto.

Uns sapatos maiores, pneus de baixo perfil e umas jantes de vinte polegadas, assim como a suspensão mais baixa, acabam por afectar um pouco o conforto. Comparativamente ao i3 que tive oportunidade de conduzir o ano passado, este i3S é bem mais duro a nível de suspensão. Não se pode dizer que seja desconfortável, apenas não é tão confortável como a versão normal. A verdade é que esta perda de conforto resulta de uma escolha que a BMW teve que fazer: contolo e segurança vs conforto. É claro que a escolha é simples, quando se quer por um S em frente ao modelo do carro em causa.

O desempenho é excelente, e é aqui que a BMW joga as cartas todas. O motor tem uma resposta imediata e linear, com uma grande força de aceleração que faz dos 0-100Km/h em apenas 6.9 segundos. Mas mais impressionante ainda, é a capacidade de recuperação quando já estamos bem embalados: recuperar de 120 até aos 140, é algo bastante simples e rápido para este BMW i3S.

Tudo isto acontece graças ao motor com 184cv e 270nm de binário. É claro que não vamos querer ter uma condução desportiva durante muito tempo, isto porque o número de quilómetros feitos apenas com uma carga reduz consideravelmente. É nas baterias que podemos fazer uma das maiores críticas à BMW. É que esta nova versão (seja ela i3 simples, ou i3S), mantém as mesmas baterias que já existiam no modelo de há três anos. Entre 190 a 200km de autonomia com uma só carga, o que começa a ser pouco para aquilo que a concorrência começa a apresentar.

Mas há algo de importante a referir aqui. Contrariamente aquilo que se julga, o i3S não tem uma autonomia mais curta em comparação ao i3 normal. É que apesar de ser uma versão desportiva, ter um motor mais potente e mais binário, tudo depende da forma como controlamos o pé no acelerador, assim como o tipo de condução (prever paragens e aproveitar as mesmas para regenerar). Ou seja, se mantivermos o mesmo tipo de condução tanto no i3 como no i3S, a autonomia será sempre a mesma. E como já tinha tido oportunidade de constatar, o i3S (tal como o i3), acabam por permitir fazer mais km do que aqueles que são anunciados quando o carro está totalmente carregado. Com a carga completa, o i3S aponta para os 190/200km, sendo que podemos fazer perto de 220/230km, desde que seja aplicada uma condução calma e ecológica.

Fotografia tirada com Ricoh Theta V. Análise em breve.

O interior desta nova versão do i3S, mantém-se exactamente igual à versão anterior, com mínimas alterações. O ecrã maior na consola central é uma delas, assim como a versão mais recente do iDrive. Este ecrã maior permite uma maior personalização, num sistema que é bastante intuitivo e funcional. Destaque para os comandos de voz que nos permitem fazer quase tudo à primeira.

A qualidade dos materiais é boa, o conforto a bordo também. Todos os passageiros (4 no total) desfrutam de um espaço com bastante estilo, ergonómico e com boa visibilidade exterior. O que se mantém também, é a dificuldade de acesso aos lugares traseiros, tudo por culpa do sistema de abertura das portas. Quando temos o carro estacionado sem ninguém ao lado, o sistema é bastante simples e até dá uma área maior para acesso. Ainda assim obriga sempre à abertura da porta da frente, para conseguir abrir a porta de trás e permitir o acesso aos lugares traseiros.

Mas quando temos um carro estacionado ao lado, é um desafio conseguir entrar para os lugares traseiros. É que quando abrimos a porta da frente, ficamos algo limitados para abrir a porta traseira. Pelo meio, a ausência do pilar B é substituída, tanto em cima como em baixo, pelos trincos das portas. Em baixo não é um problema, mas em cima, vão causar algumas dores de cabeça aos passageiros que frequentemente vão andar a bater lá com as suas cabeças, sempre que quiserem entrar para o carro. Num fim de semana, foram várias as pessoas que se queixaram!

Estava a pensar comprar um BMW i3S. Devo comprar?

Este é um tema que é sempre interessante discutir. Mas no caso dos veículos eléctricos, o assunto ganha outro destaque.

Quem quiser comprar um BMW i3S em Portugal, terá que desembolsar mais 4580€ do que quem quiser comprar o “simples” BMW i3. Isto para valores base, sem qualquer tipo de descontos. A diferença aqui é considerável, mas também é preciso ter em conta que o i3S é consideravelmente mais divertido de conduzir, já que conta com um motor mais potente e também melhorias dinâmicas. Se não se importar de dar 47,289€ por um eléctrico, então sem dúvida alguma que é aconselhável a compra deste i3S: um eléctrico com estilo, divertido de ser conduzido e com emissões 0. Claro que isto se aplica apenas se estivermos a falar de alguém que não faz mais do que 180/190km por dia, e que tenha possibilidade de pôr o carro à carga todos os dias.

Para os que fazem mais quilómetros, a BMW também tem outra solução. Tal como já acontecia anteriormente, é possível adquirir um BMW i3S com um extensor de autonomia (um motor a gasolina), que permite adicionar cerca de 120 Km à autonomia eléctrica. No entanto, este motor a gasolina traz algumas contrariedades: em primeiro lugar deixamos de estar num veículo com zero emissões, em segundo lugar temos uma componente fiscal extra que num totalmente eléctrico não teríamos.

De facto é pena não existirem baterias com uma maior autonomia, mas ainda assim, o BMW i3S continua a ser uma das melhores apostas nos carros eléctricos existentes actualmente. É lógico que outras marcas também têm os seus próprios veículos eléctricos e também com bastante qualidade, mas poucas conseguem transformar um eléctrico em algo divertido de ser conduzido no dia a dia.

É certo que apenas o leitor sabe se precisa ou não de um eléctrico, ou até mesmo se este BMW i3S é a melhor escolha. O que posso dizer, é que o “S” no final faz toda a diferença, e que pode justificar a diferença no investimento inicial. E se antes considerava o BMW i3 o melhor do mercado, agora considero que este BMW i3S é o eléctrico mais divertido que podemos conduzir nas nossas estradas!

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here