Depois do que poderá ter sido a maior sucessão incontrolável de fugas de informação sobre os smartphones menos secretos de que há memória, a Google revelou hoje os novos Pixel 3 e Pixel 3 XL, expectavelmente sem grandes surpresas. Talvez uma surpresa: após ser revelado o notch intragável do Pixel 3 XL, a Google fez uma ronda pelos canais de YouTube, no que as teorias da conspiração consideraram indício da possibilidade do Pixel 3 XL ser um dispositivo bem diferente do mostrado e as fugas de informação serem um gigantesco trollanço por parte da Google. Não, a Google não pensou nisso de modo tão profundo e o XL tem de facto o notch menos consensual que possamos imaginar.

Design e construção

Em defesa da Google, o notch do Pixel 3 XL aloja não só duas câmaras como o auscultador que duplica como segundo altifalante no sistema estéreo que volta a marcar presença no smartphone da Google. É também esse motivo que justifica o lábio inferior bastante amplo, necessário a alojar hardware de maior volume. Não terá sido simplesmente tecnicamente viável encostar o auscultador ao espaço entre o ecrã e a moldura, e a Google não quis abdicar do estéreo: boa opção do ponto de vista técnico, mas problemática do ponto de vista estético.

Pelo contrário, o Google Pixel 3 possui um ecrã simétrico, sem notch e apenas lábios inferior e superior mais generosos. Também aqui marca presença um sistema de altifalantes estéreo, e um duo de câmaras frontais.

A construção e o design, no geral, seguem as linhas estéticas dos primeiro e segundo Pixel, mas desta vez a Google usou de uma artimanha: o painel traseiro é totalmente de vidro onde a geração anterior recorria a um painel de metal com um enxerto de vidro. Mas para manter o mesmo visual, parte do vidro é fosco na superfície interna, dando a impressão de metal, mas permitindo aos Pixel 3 e 3 XL a inclusão de carregamento wireless.

Hardware muito melhorado nos detalhes

A Google parece ter feito as alterações óbvias, substituindo o Snapdragon 835 por um Snapdragon 845, como seria de esperar, mas limitou-se a 4GB de RAM numa altura em que a maioria da concorrência já se encontra com 6GB de RAM, se não mais. O armazenamento, entretanto, fica-se plos 64GB ou 128GB, sem diferenças entre Pixel 3 e Pixel 3 XL.

Mas, fora o hardware mais óbvio, há um novo detalhe a não negligenciar: os novos Pixel incluem um chip de segurança específico que integra o sistema Titan Security que a Google desenvolveu para os seus data centers. O novo chip protege o boot do dispositivo e melhora a encriptação dos dados e segurança geral do dispositivo, numa novidade que não surgiu em qualquer fuga de informação e que é bem-vinda depois da fuga de segurança massiva que deu à Google a desculpa para o encerramento da rede Google+.

Já do lado das câmaras, a Google manteve a câmara principal nos 12MP, mas parece ter melhorado os algoritmos de análise e tratamento de imagem, se bem que ainda teremos de ver na prática como a câmara se comporta contra rivais como o Huawei Mate 20 ou os novos iPhone. Uma nova funcionalidade será já bem conhecida por parte dos utilizadores da Samsung, especificamente a possibilidade de mudar o ponto de foco e ajustar o nível de desfoque do segundo plano.

À frente, a Google acrescenta agora uma segunda câmara, especificamente uma ultragrande angular para fotografias de grupo, e uma implementação de inteligência artificial baptizada de Photobooth. Com esta funcionalidade, a câmara capta imagens automaticamente quando detecta uma careta ou um sorriso, porque é precisamente para este tipo de prioridades que hoje em dia pagamos €800 por um smartphone. Mas a cada um o seu, certo?

Diferença mais notória face aos Pixel 2 são os ecrãs. Desta vez ambos os dispositivos possuem ecrãs ultra wide, no caso do Pixel 3 um OLED FHD+ 18:9 de 5.5 polegadas e no caso do Pixel 3 XL um ecrã de 6.3 polegadas QHD+, OLED em ambos os casos.

Finalmente, o Pixel 3 possui uma bateria de 2,915mAh, enquanto o Pixel 3 XL possui 3,430mAh. Nenhuma das baterias é particularmente extraordinária ou generosa, mas a Google redime-se parcialmente ao incluir carregamento wireless e um carregador rápido no pack.

Para os que quiserem aproveitar a ocasião e o carregamento wireless, a Google lançou igualmente um stand que quando emparelhado com o Pixel permite ao utilizador invocar o Google Assistant à distância.

Preço e disponibilidade 

Os Google Pixel 3 e Google Pixel 3 XL começaram hoje já as pré-encomendas, mas os preços são significativamente superiores aos dos Pixel 2, por volta dos 20% de aumento, com o Pixel 3 a começar nos $800 e o Pixel 3 XL a começar nos $900.

No entanto, o preço não paga só o hardware, e inclui três anos de actualizações garantidas, algo que nem todos os smartphones têm como certo.

Tudo somado, a Google volta a revelar dois smartphones muito bem conseguidos e optimizados para um sistema Android que a Google conhece como ninguém. Contudo, serão os dois Pixel capaz de se impor a concorrentes directos como o OnePlus 6T, Huawei Mate 20 Pro ou Samsung Galaxy Note9, depois de semanas de fugas de informação que tiraram aos dois dispositivos todo o elemento da surpresa?

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here