A litografia por raios ultravioleta extremos está agora nos seus primeiros passos, com a chegada ao mercado de chips como os Kirin 990, Snapdragon 855+ e Exynos 9825. No entanto, o próximo passo já está a ser dado, com a investigação da litografia de 5nm. A Huawei espera colocá-la no mercado em 2020, com o Huawei Mate 40 e o Kirin 1000.

Se o fizer, mais uma vez a marca será uma pioneira. Com o Kirin 980, a Huawei anunciou o primeiro chip com litografia de 7nm em todo o mundo e, considerando o calendário de lançamentos, o Kirin 1000 poderá ser anunciado na IFA de Berlim em Setembro de 2020, antecipando-se à concorrência.

Com o Snapdragon 865 a ser anunciado lá para Dezembro, certamente em 7nm+, o Kirin 1000 irá representar um salto tecnológico nada menos do que impressionante, para uma marca acossada pela hostilidade da administração Trump.

Este futuro não está assim tão distante, e a Huawei terá já começado a produção de testes do Kirin 1000. Supostamente, o chip já recorre aos Cortex-A77, não aos atuais A76. A marca foi peremptória quanto a ter decidido não utilizar os A77 por considerar que estes ainda não garantiam a relação performance-eficácia que a marca pretende, o que talvez acontecesse com o próximo salto de litografia.

Huawei Mate 30 Pro oficial: um smartphone extraordinário, ou o dia em que Huawei ganhou e a Google perdeu

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here