O irmão mais pequeno do Samsung Galaxy S9: essa parece ser a identidade genética do Samsung Galaxy A8 (2018), um smartphone que não sucede exactamente a nenhum dos Galaxy A de 2017 e introduz um mix das características do Galaxy S8, com muito daquilo que veremos no Galaxy S9, tornando-se assim e desde logo, um excelente candidato a ser um S9 de recurso, ou um Galaxy S8 para as massas.

Com um Samsung Galaxy A8 nas mãos, a TekGenius pondera alguns dos melhores pontos deste equipamento (e alguns dos menos bons) para aqueles que querem decidir agora o seu próximo smartphone e não podem esperar por uma review final.

Impressionante: design e materiais premium

Não é fácil para mim explicá-lo, mas tentarei fazê-lo de qualquer modo: o design dos Samsung Galaxy é algo que não se aprecia devidamente em renders. É quando temos os dispositivos na mão que percebemos as subtilezas dos contornos e a conjunção dos elementos. O Galaxy A8 2018 não foge a esta regra e é bastante sólido, com acabamentos irrepreensíveis e uma abordagem muito reminiscente do Galaxy S9 com painéis de vidro sobre uma moldura de metal, com cada painel ligeiramente curvado nas laterais.

Com o rácio de aspecto 18:9, o equipamento é esguio e modernista, com rebordos pouco extensos. Na mão, é realmente sólido e rígido, mostrando excelente encaixe e fabrico no geral, mostrando que a Samsung mobilizou todo o seu know-how.

A melhor parte é que o Samsung Galaxy A8 2018 coloca finalmente o leitor de impressões traseiro numa posição confortável e sem problemas, sendo neste ponto aquele equipamento que lança os pilares do design do futuro Samsung Galaxy S9.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Impressionante: o potente Exynos 7885

A Samsung não falou muito do Exynos 7885, não lhe dando sequer o privilégio de uma oficialização. No entanto, este chip é um dos melhores segredos do Galaxy A8 e um chip excitante: desde logo é atípico, ao ser um octa-core assimétrico, com seis Cortex-A53 para performance quotidiana e 2 Cortex-A73 afinados para performance máxima, entrando em acção quando é absolutamente necessário. E quando é realmente necessário, estes dois núcleos extras garantem performance superior num segmento onde muitos concorrentes ainda utilizam os já clássicos A53.

Vamos ver se temos razão para este optimismo na nossa análise, por isso fiquem atentos!

Impressionante: o Infinity Screen

O Samsung Galaxy A8 2018 ficará como o smartphone que trouxe o Infinity Screen para a gama média, dando ao utilizador um painel de 18.5:9 AMOLED, excelente para jogos e vídeos, além de navegação na Internet, onde o seu aspecto alongado permite mais apresentação de informação sem scroll. Como vem sendo hábito da Samsung, o ecrã tem Always On para apresentação de diversos dados, como hora e dia, mas o destaque deste painel deve ir mesmo para a sua qualidade: o A8 foi equipado com o melhor que a Samsung tem abaixo da gama estritamente alta e isso deverá notar-se na utilização quotidiana com boa luminosidade no exterior e ângulos de visão amplos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Impressionante: câmaras modernas com reconhecimento facial e Bixby Vision

O Samsung Galaxy A8 vocaciona-se muito claramente a um público mais jovem, para quem as selfies são importantes, equipando-se com duas câmaras frontais de 16MP f/1.9 e 8MP f/1.9 com flash via ecrã e capacidade para desfocar o segundo plano. Atrás, uma câmara principal de 16MP com abertura f/1.7 será uma vantagem face à maior parte da concorrência em condições de pouca luminosidade.

A destacar aqui que o Samsung Galaxy A8 integra a possibilidade de utilizarmos as câmaras frontais para desbloqueio do smartphone por reconhecimento facial. É mais uma questão de nos habituarmos a utilizá-lo, momento a partir do qual percebemos que é bastante eficiente e cómodo, pelo menos na minha experiência pessoal até agora.

Bom, e as câmaras possuem também o Bixby Vision, que nos permite fotografar objectos e textos com reconhecimento. É certo que o assistente Bixby não tem sido o mais popular, e a Bixby Vision tem muito que melhorar quanto aos resultados e à sua pertinência, mas consegue ir buscar resultados maioritariamente relacionados com o que queríamos. Tem algumas falhas, como aquele momento em que confundiu um avião a jacto com um peixe (e não é totalmente descabido, tratando-se do Me-262, admito), mas se estivermos sem ideias para um jantar, fotografamos um ingrediente e são-nos sugeridas receitas. O potencial está lá, sim.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Impressionante: um dos smartphones mais seguros no segmento

Temos obviamente ao nosso dispor o reconhecimento facial e o leitor de impressões digitais para maior segurança, mas o Samsung Galaxy A8 oferece ainda inúmeras opções de segurança extras, como o arranque seguro, encriptação do cartão microSD, Pasta Segura, autenticação Samsung Pass via dados biométricos encriptados pela tecnologia líder Knox.

Pessoalmente, deverão olhar com muita atenção para as Definições de Bloqueio Seguro, já que são fundamentais para proteger a sério a nossa privacidade. As opções aí incluem o tempo que o smartphone demora a bloquear depois do ecrã se desactivar (eu coloquei 1s), o que significa que se programarmos outro intervalo de tempo, reactivar o ecrã durante esse período contorna os bloqueios.

Caso o smartphone seja roubado, podemos programar a reposição de fábrica automática ao fim de 15 tentativas para o desbloquear, e manter a rede e segurança bloqueada durante esse período, de forma a que não seja possível a alguém desligar a rede e dificultar a localização do Galaxy.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Menos impressionante: O preço

Bom, o Samsung Galaxy A8 2018 pode ser encontrado por €509.99 (algo menos nos descontos online e, claro, ainda menos com pontos nas operadoras). O preço pode ser considerado pouco atraente quando comparado a equipamentos decididamente de gama alta quando olhamos estritamente para o papel. No entanto, o A8 inclui tecnologias e materiais de elevada qualidade que aumentam exponencialmente o preço de qualquer equipamento, à medida que apostamos nesta vertente da qualidade.

Menos impressionante: Apenas uma câmara principal

A Samsung parece algo reticente quanto à adopção de câmaras duplas nos seus smartphones. Porquanto ainda não tenha testado a câmara do A8 a fundo para decidir os seus dotes (e a minha experiência com a Samsung é que as câmaras são geralmente excelentes), nesta gama de preço – e como amante da fotografia – sinto necessidade de uma segunda câmara, seja esta monocromática ou grande angular, para mais possibilidades fotográficas. A Samsung não me ajuda aqui, com uma app cujo modo Pro inclui um número insuficiente de parâmetros que possamos controlar. Fico com a sensação de que deveria poder tirar muito mais proveito do mundo da fotografia com um smartphone com este tipo de hardware e com este preço.

Menos impressionante: Android Nougat em 2018

Estamos em Fevereiro de 2018 e os únicos smartphones com Android Nougat deveriam ser os mais baratos de marcas menos conhecidas, não uma peça tão impressionante quanto o A8. A Samsung vai aqui em contracorrente face a concorrentes directos que já praticamente deixaram de lado o Android Nougat e, embora seja intenção da Samsung colocar o Oreo neste equipamento extraordinário, não sabemos ainda quando.

Este ponto impressiona pouco mas, justiça seja feita, é em boa medida contrabalançado pelas amplas possibilidades de configuração da interface nativa à qual o Oreo poderá acrescentar pouco.

Menos impressionante: Gráfica anémica

Uma das melhores decisões da Samsung foi a colocação da Mali-G71 a bordo do Galaxy A8 2018, mas depois tomou uma decisão menos impressionante de optar por uma MP2. Deveríamos considerar que, neste mercado, uma MP4 seria o mínimo indispensável para este preço, de modo que, assim como estamos, o Samsung Galaxy A8 2018 terá uma capacidade gaming boa, mas com algumas limitações.

Os meus pensamentos até agora

É justo dizer que, apesar de algumas reservas, estou razoavelmente impressionado com o Samsung Galaxy A8 2018 até agora. A combinação de construção, segurança, autonomia e hardware tornam-no um potencial equipamento empresarial com boas capacidades de produtividade, mas menos para um gamer ou apaixonado da fotografia. Dependendo daquilo para que precisamos do equipamento, o Samsung Galaxy A8 2018 tem um enorme potencial para agradar e não temos qualquer dificuldade em ver que se trata de um equipamento premium.

Fiquem atentos a estas páginas para a nossa análise final!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA