Os topos de gama da Sony desde o Xperia Z5 têm passado algo ao lado do grande sucesso de vendas, muitas vezes não por culpa própria, mas por uma certa inércia de um gigante em mudar o passo da dança. Mas a Sony tem feito um esforço colossal em melhorar a relação preço-qualidade dos seus dispositivos e o Novo Sony Xperia 1 (ex-XZ4) é tão cheio de características quanto qualquer concorrente Coreano ou Chinês.

Um monstro multimédia

A multimédia é o nome do jogo, e a Sony quer a Coroa. A rival Samsung surpreendeu-me com um ecrã HDR10+ nos seus Galaxy S10 e isso fará a diferença em vídeo. O painel da Sony também é HDR, mas a marca foi por outro caminho e atira-nos com um descomunal ecrã de 6.5 polegadas com resolução 4K e proporções 21:9. Trata-se de um painel OLED que ainda acrescenta 10bits de cor por pixel (os painéis actuais recorrem a 8 bits)e caso sejam dos que pensam que a Sony não inova, este é o primeiro ecrã OLED 4K alguma vez colocado num smartphone.

O ecrã é todo função: não há curvatura lateral para pouco ou nada, capaz de alterar a qualidade de imagem em algum ângulo, nem um leitor biométrico a tentar passar através desta grande densidade de pixéis. O ecrã é plano e dedicado exclusivamente a ser um deleite visual, adoptando o processamento de imagem X1 das Bravia e calibração de cor dos monitores profissionais da marca.

Pela primeira vez, a Sony inclui Dolby Atmos para melhorar a qualidade áudio, tanto dos auscultadores, quanto dos dois altifalantes estéreo. A Sony não desistiu ainda dos audiófilos.

Câmaras com algumas das melhores funcionalidades no mundo mobile

A Sony andou a marcar passo face à concorrência em termos de número de câmaras, mas desta vez o Sony Xperia 1 chega já com três câmaras, a par com os seus principais concorrentes. Os rumores apontavam para uma câmara de 52MP, mas a própria Sony, que fabrica sensores de grande resolução, preferiu manter-se com três sensores de 12MP, o principal dos quais apresenta abertura f/1.6 e pixéis de 1.4 micrómetros.

As outras duas câmaras são uma zoom com distância focal de 52mm (equivalente) e uma ultragrande angular, com distância focal de 16mm (equivalente). Todas as três incluem estabilização óptica de imagem!

Nem só de números se fazem as câmaras num smartphone, e graças à CineAlta, a Sony integrou algo muito especial na forma da app Cinema Pro. Com esta app, podemos gravar vídeo 4K a 24fps, com perfis de cor profissionais pré programados e gestão de projectos, e a inclusão do Eye AF permitirá em teoria uma capacidade de foco de seguimento sem precedentes. Sobre aquele tema da Sony não inovar, este é o primeiro smartphone com sistema de rastreio de olhos, algo tirado directamente das câmaras fotográficas da marca.

A nova SteadyShot permitirá fazer algo de muito bom com as capacidades de vídeo do Xperia 1, já que pela primeira vez inclui OIS em acréscimo à estabilização electrónica. Portanto, estamos a falar de gravar vídeos com predefinições cinematrográficas consagradas, permitindo ao Xperia 1 ser um sério candidato a equipamento de eleição para cinematógrafos.

Algo que não me lembro de ver em nenhum smartphone é a presença de redução de ruído em RAW. Os ficheiros RAW são os ficheiros completos que saem do sensor, e aos quais são aplicados algoritmos de tratamento de imagem para gerar o jpeg final. É neste tratamento que é incluída a redução de ruído, e ao permitir reduzir o ruído directamente nos ficheiros RAW, a Sony está a dar aos aficionados uma ferramenta muito mais viável de tratamento de imagem.

E podemos contar também com uma capacidade desportista de 10fps com autofoco e exposição automática para cada imagem. Soberbo, ein?

Potência com poucas restrições

Não há como o dizer de outro modo: o Sony Xperia 1 não tem muitos rivais em termos de capacidades de memória e processamento, já que vem equipado com o Snapdragon 855 e 6GB de RAM, com um máximo de 128GB de armazenamento interno. Estranhamente, só podemos expandir a memória interna até 512GB (embora na verdade eu seja capaz de apostar que um cartão maior seja perfeitamente compatível e este valor seja meramente indicativo). De facto, esperava-se que o dispositivo tivesse algo mais de memória, porque aqueles vídeos 4K vão acabar com os 64GB muito depressa.

Interessante é que a Sony inclui um Game Enhancer, uma implementação que visa melhorar a performance num jogo, mas que também permite fazer streaming via câmara frontal de 8MP e mesmo procurar walkthroughs no YouTube, caso se sintam tótós num qualquer jogo.

A bateria para manter tudo isto a funcionar é de uns magros 3330mAh. É um valor muito em consonância com os concorrentes directos, mas irá drenar rapidamente com um ecrã 4K a funcionar, pelo que estou curioso para ver que milagres fez a Sony em termos de autonomia, sendo que a Sony de facto os faz.

E o design?

Bom, o design do Xperia 1 é funcional. A marca deixou para trás o look mais rotundos dos últimos topos de gama, e parece-me que regressa às raízes do seu Omnibalance, com um design plano, mas muito adequado a 2019, com rebordos mínimos e simétricos. O design não nos conta tudo e a construção é tipicamente Sony: o vidro é o novo Gorilla Glass 6, e o Sony Xperia 1 inclui protecção IP65/68 contra entrada de água e poeira.

O Sony Xperia 1 estará disponível em preto e cinzento, mas também nas impressionantes cores branca e púrpura.

Disponibilidade e preço do Sony Xperia 1 ainda não foram revelados, mas não só não me admira que supere os €900, como parece mais do que capaz de justificar este preço. Só mesmo quem tiver algo contra a Sony encontrará motivos para protestar tudo o que a Sony conseguiu fazer aqui. Bom… falta o jack áudio.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here