No lançamento do Oppo R17, uma ausência fez-se sentir: o Oppo R17 Pro. Expectável numa era em que todas as marcas fazem iterações Plus e Pro dos seus smartphones, o Oppo R17 Pro é quase uma certeza e agora a Oppo confirmou uma das suas principais características: câmaras de abertura variável.

Este facto de grande importância junta-se à crença de que o Oppo R17 Pro terá igualmente três câmaras principais, afirmando-se como um concorrente muito interessante ao Huawei P20 Pro, numa gama mais económica.

Até agora, só a Samsung mobilizou câmaras com abertura variável numa altura em que muitas marcas se dedicam ao bokeh de utilidade relativa, com a adição de uma segunda câmara de valor questionável. A opção da Samsung é fundamentalmente mais útil e parece-me o caminho certo para a Oppo e para a fotografia mobile.

À medida que as marcas procuram uma maior abertura para as suas câmaras, valores como f/1.7 ou f/1.8 já começam a criar uma degradação apreciável da nitidez na fotografia final, além de maior prevalência de fringing nas áreas mais longe do centro da fotografia. A solução da Samsung foi engenhosa, ao implementar uma abertura de f/2.4 para fotografias em condições ideais de luminosidade, maximizando o detalhe capturado e anulando os efeitos de degradação da qualidade de imagem que advêm das grandes aberturas. No entanto, à medida que a luz disponível diminui, ou quando precisamos de criar um maior desfoque, a abertura f/1.5 permite captar mais luz sem sofrermos as consequências de um ISO demasiado elevado.

Embora o Oppo R17 seja já oficial, alguns dados ainda estão por revelar, mas parece que só a versão Pro terá esta abertura variável, não sendo ainda certo que possua três câmaras, ou quais as principais diferenças a nível do hardware face ao Oppo R17 normal.

As especificações conhecidas até ao momento para o Oppo R17 incluem um possível Snapdragon 670 com 8GB de RAM e 128GB de armazemaneto interno, um ecrã AMOLED de 6.4 polegadas e resolução FHD+, ou uma combinação de câmaras de 16MP + 5MP. No entanto, o seu maior argumento para já é mesmo o design extremamente interessante que repensa o notch e o reduz a uma forma “em gota de água” de aparência esteticamente agradável e aerodinâmica.

O preço poderá rondar os €350, o que é relativamente competitivo, mas algo distante dos preços de chuva a que as marcas Chinesas nos foram habituando. É certamente um sinal da sua evolução em termos de capacidades e ambição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here