O padrão USB mudou de nome e quem tinha dificuldades em distinguir o padrão 2.0 do 3.0 e 3.1 vai ficar ainda mais confuso com a chegada do padrão USB 3.2, que altera também a nomenclatura dos padrões anteriores.

Tenho certeza que teria sido muito mais simples de se fazer sem esta revisão dos padrões que parece uma estratégia de marketing para fazer tudo muito mais sonante. Seja como for, a confusão estará lançada, pelo que fica aqui um pequeno mapa para quando quiserem comprar algum dispositivo:

USB 3.0 (ou USB 3.1 Gen 1): passa a chamar-se USB 3.2 Gen 1 e está limitada a 5Gbps de taxa de transferência. O nome oficial é SuperSpeed USB.

USB 3.1 (ou USB 3.1 Gen 2): passa a chamar-se oficialmente USB 3.2 Gen 2 e tem o nome de marketing de SuperSpeed USB 10Gbps.

Portanto onde estamos nós agora?

O novo padrão é o USB 3.2 Gen 2×2, vá-se lá perceber porquê, já que deveria ser Gen 3, e tem uma velocidade de transferência de dados até 20Gbps, pelo que a nomenclatura recomendada é SuperSpeed USB 20Gbps. O problema, quando comprarmos um novo dispositivo – seja ele qual for – é que muitos terão simplesmente a etiqueta de USB 3.2, deixando o utilizador sem saber se está a pagar por 5Gbps, 10Gbps ou 20Gbps, não sendo obrigatório que os fabricantes declarem a velocidade do terminal.

O USB-IF (USB Implementers Forum) acrescenta ainda outra informação que convém não esquecermos: o padrão USB 3.2 apenas define a taxa de transferência de um produto e não distingue entre USB C, Micro USB, USB A, ou qualquer outro tipo de conector, e não tem ligação directa com o USB Power Delivery ou o USB Battery Charging, se bem que estas partes já deveríamos ter em mente. Portanto, nada impede um conector USB A de ser USB 3.2.

Tudo isto vai significar que caso o utilizador tenha necessidades específicas de velocidade de transferência de dados, vai ter que prestar muito mais atenção às especificações técnicas da máquina que quer comprar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here