Ao longo dos últimos anos, a NOS tem apostado em Matosinhos como laboratório de inovação onde as novas tecnologias 5G têm sido amplamente instaladas e testadas. No mais recente passo desta parceria entre a NOS e a cidade, o Porto de Leixões tornou-se o primeiro porto 5G em Portugal.

Este grande avanço nasceu graças à parceria mais específica entre a NOS e a APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, e permitiu cobrir toda a área do Porto com tecnologia 5G, oferecendo-lhe mais competitividade, segurança e eficiência de gestão. Nomeadamente, a estrutura passa a poder monitorizar com muito mais eficiência e segurança as manobras dos navios e das transferências de carga, através monitorização de vídeo com drones 5G que podem adicionalmente ser equipados com monitores ambientais de ruído e qualidade do ar, capazes de medir os impactos de cada operação em tempo real e diretamente no local.

Um dos maiores portos de Portugal, em plena pandemia, durante o ano de 2020, Leixões movimentou 17.1 milhões de toneladas ou 703 919 TEUS, unidade de medida equivalente a um contentor standard. É um volume que mostra o dinamismo das empresas nacionais e que beneficiarão dos mecanismos acrescidos da rede 5G da NOS para apoiar a sua atividade.

No futuo, a NOS e a APDL também estão a estudar meios de utilizar a realidade aumentada e a tecnologia de gémeo digital para tornar os processos de manutenção de maquinaria e logística mais eficientes, implementando IOT de sensorização para saber em tempo real a localização e estado de todos os ativos.

De acordo com Manuel Ramalho Eanes, Administrador Executivo da NOS, “O 5G, enquanto peça fundamental daquilo que é a indústria 4.0, permite-nos definir o que é o futuro da competitividade das empresas nos mais diversos setores. Graças às soluções baseadas em 5G que estamos a implementar, o Porto de Leixões, uma das mais relevantes infraestruturas nacionais, poderá reforçar a sua posição competitiva, não apenas no contexto ibérico mas também europeu”.

De acordo com Nuno Araújo, Presidente do Conselho de Administração da APDL, “hoje, a tecnologia é provavelmente o fator de competitividade mais relevante para uma infraestrutura como a nossa. Pretendemos levar a cabo as nossas operações da forma mais rápida possível, mais segura e com maior eficiência. Por isso, para o Porto de Leixões é absolutamente crítico a utilização de tecnologias inovadoras como o 5G, de forma a potenciar o nosso processo de transformação digital e assim incrementar a nossa produtividade e melhorar o nosso posicionamento”.

O 5G promete ser o principal acelerador da 4ª revolução industrial. Através das suas elevadas velocidades, latências hiper-reduzidas e ligações massivas, a quinta geração de comunicações móveis vai contribuir para alavancar um conjunto de relevantes use cases e trazer novas aplicações que prometem mudar a forma como as empresas trabalham e a sociedade funciona.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here