Bom, pedal até ao metal é uma expressão que se utiliza mais no contexto da aceleração máxima num veículo, sendo que o Nokia 5 não ficará na história por ser um Fórmula 1 da velocidade. Mas é uma raridade neste segmento abaixo dos €300, já que aposta tudo no metal, com um corpo monobloco de alumínio que é praticamente impossível de encontrar a este preço no mercado nacional.

Uma peça fundamental na segmentação de mercado da Nokia, o Nokia 5 está num caminho intermédio entre o plástico e relativamente básico Nokia 3 e o bem mais completo Nokia 6. O caminho do meio é geralmente o mais seguro de todos. Será que esta opção torna o Nokia 5 suficientemente atraente para o público geral?

  • Design e construção

Gostei decididamente do design do Nokia 3, com a sua combinação de moldura de metal com painel traseiro de plástico. O dispositivo tem definitivamente charme.

wp-image-1103703980.jpgMas o Nokia 5 não é simplesmente melhor neste aspecto, é realmente um outro mundo. O chassis é um monobloco de alumínio muito bem acabado e com as antenas desviadas para ambas as extremidades, de modo a que a face posterior parece limpa e sem interrupções. Há um lado negativo aqui, e é que as principais conexões (como o jack áudio ou micro USB) estão revestidas a plástico. Não deverá ser por aqui que algum problema surgirá.

Com os elementos em metal fosco, o Nokia 5 tem boa aderência na mão e parece francamente sólido. Entretanto, a curvatura das laterais é suave e o dispositivo é dos mais confortáveis que podemos encontrar em qualquer segmento de preço, parecendo bem um dispositivo na casa dos €300 ou 400€. As linhas são simplesmente muito fluídas e elegantes quando muitos concorrentes adoptam atalhos para tornar a construção mais barata. O aro cromado em torno do módulo fotográfico e o leitor de impressões digitais ultrassónico sob o vidro do ecrã contribuem ainda mais para este look definitivamente premium.wp-image-391591995.jpg

A verdade é que nesta gama de preço o Nokia 5 tem poucos ou nenhuns dispositivos capazes de competir com ele em estética, excepto se quisermos ir para as importações que têm os seus próprios riscos.

  • Software

Mais uma vez, o Nokia 5 apresenta uma abordagem pura ao Android, com o Android 7.1 Nougat a bordo e praticamente nenhum retoque. Há quem goste desta abordagem, há quem prefira algo mais em termos de funcionalidades acrescidas que o Android base não costuma ter.

É o caso da app fotográfica que merece sempre mais dedicação, principalmente tendo em conta o historial da Nokia e espero que o Nokia 8 aposte forte neste ponto, quando introduzir muito provavelmente as câmaras ZEISS.

Tal como no caso do Nokia 3 também, é supostamente possível dizer OK Google para lançar o assistente Google, mas a funcionalidade não parece simplesmente estar disponível no mercado nacional e seria fantástico se isso mudassse.

  •  Hardware

Fora o colossal avanço sobre o Nokia 3 em termos de construção, o Nokia 5 apresenta igualmente características de hardware melhoradas em diversos aspectos. A bordo encontramos os mesmos 16GB de armazenamento e 2GB de RAM, neste momento muito curtos para qualquer smartphone acima dos €200 e diria aqui que serão os aspectos menos positivos no Nokia 5.wp-image-461304750.jpg

O processador, entretanto, é o Snadpragon 430, um octa-corte de gama baixa com Cortex A53 e uma frequência relativamente baixa de 1.4GHz. No entanto, com oito núcleos, o Snapdragon 830 costuma dar bom rendimento em jogos e utilização normal nos dispositivos que já tive a oportunidade de utilizar.

A destacar também é a câmara frontal de 8MP e a câmara principal de 13MP, além da bateria de 3000mAh. Esta é uma capacidade muito interessante para um dispositivo de exigências modestas e a utilização de micro-USB não deverá ser penalizante.

Entretanto, o ecrã é uma unidade HD de 5.2 polegadas. Eu sei que muitos prefeririam FHD, mas o painel parece ser de boa qualidade, com boas cores, boa luminosidade, e está perfeitamente em linha com os dispositivos concorrentes neste preço.wp-image-306329460.jpg

Por último, algo que já não vemos há muito tempo: o Nokia 5 terá uma ranhura para o cartão microSD e outra para os cartões SIM. No caso da nossa unidade de teste, esta é para apenas um cartão, mas é importante que num equipamento com apenas 16GB de armazenamento interno não tenhamos de sacrificar o SIM ou a expansão.

  • Expectativas

O maior problema para Nokia é a mística do seu próprio nome e o modo como pode elevar as expectativas muito acima da realidade das coisas. Não podemos esperar que o Nokia 5 seja um dispositivo milagroso que supere o fisicamente possível, mas é sim um dispositivo com características muito justas para o seu preço, fora a RAM e o armazenamento totalmente inadequados para 2017.wp-image-1762556387.jpg

O Nokia 5 não fará milagres, mas o hardware será bem capaz de aguentar uma utilização relativamente pesada sem desconforto e está perfeitamente em linha com a principal concorrência do Nokia.

Há no entanto um ponto em que as expectativas têm de estar forçosamente no máximo: senhor de grande elegância e ergonomia apreciável, o Nokia 5 tem o aspecto de um smartphone capaz de proporcionar uma excelente e confortável experiência de utilização. Este é um dispositivo feito para ser manuseado e mal posso esperar para o fazer.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA