Pessoalmente, tive a sorte de conseguir adaptar-me rapidamente ao teletrabalho, mas outros não foram tão bafejados. O teletrabalho surgiu de repente e deixou muitos sem saber bem aquilo que precisavam para maximizar a sua produtividade. Para esses, a Devolo tem algumas considerações importantes:

Tópicos deste press release:

Computador portátil ou desktop?

Processador, placa gráfica, memória

O monitor certo ajuda a ver tudo nitidamente

A secretária certa

Acessórios técnicos

Linha de dados forte

Computador portátil ou desktop?

Muitas vezes, uma das decisões mais importantes de uma empresa é feita pelo seu departamento técnico: deve-se fornecer um portátil ou um desktop completo a cada empregado? No entanto, em muitos casos os trabalhadores também são consultados na decisão, ou podem até fornecer o seu próprio equipamento. Depois, o fator mais importante é identificar exatamente qual o caso de uso específico. No que toca ao desempenho, os portáteis de topo não têm dificuldade em competir com desktops em muitas aplicações, e têm vindo a tornar-se numa verdadeira alternativa quando usados juntamente com um monitor independente. Obviamente, têm também a grande vantagem de portabilidade. Especialmente em modelos de trabalho onde os empregados se movem regularmente entre o escritório na empresa e o escritório em casa, os portáteis têm a vantagem de transportar facilmente o mesmo ambiente de trabalho entre os dois locais.

Por outro lado, os desktops continuam a ser melhores no que toca a aplicações muito exigentes e também são uma boa opção se o plano for ficar em modo de escritório em casa a longo prazo.

Processador, placa gráfica, memória

Não há grande diferença entre as considerações básicas para os componentes técnicos de um desktop e de um portátil. São, no entanto, muito dependentes do cenário de aplicação específico. Para usar programas mais exigentes, é importante ter um processador e placa gráfica poderosos. As recomendações gerais abaixo podem ser usadas como guia:

  • Processador AMD Ryzen 3 ou Intel Core i3 ou superior
  • Pelo menos 6 GB de RAM; preferencialmente 8 GB
  • Um SSD com espaço de armazenamento de pelo menos 128 GB; melhor ainda, 256 GB

Para portáteis também é recomendado comprar um modelo com ecrã antirreflexo para o tornar mais fácil de usar em movimento. Uma webcam e microfone integrados tornam o portátil imediatamente apto a participar em videoconferências.

O monitor certo ajuda a ver tudo nitidamente

Um dos componentes mais importantes para eficiência e ergonomia numa estação de trabalho para escritório em casa é o monitor. A resolução é demasiado baixa, o ecrã cintila, a temperatura de cor está incorreta ou a posição é desconfortável – há muitas razões pelas quais o monitor errado pode ter efeitos negativos no utilizador. No pior dos casos, isto pode resultar em cansaço visual, dores de costas e fadiga geral, o que inicialmente não se associaria à escolha de monitor.

Assim, os critérios mais importantes para um bom monitor de escritório em casa são um painel de topo com a reprodução de cor mais uniforme possível e opções adequadas para ajustar a posição. Um bom monitor deve permitir ajustar a sua altura, inclinação e orientação. Painéis de topo com tecnologia IPS são suaves para os olhos e permitem definir tempos de operação de forma a que, por exemplo, a quantidade de luz azul seja reduzida à medida que anoitece.

A escolha de tamanho e resolução de ecrã, por outro lado, varia muito dependendo do cenário de aplicação. As pessoas que têm frequentemente de trabalhar com várias janelas simultaneamente obviamente beneficiarão de uma área de trabalho maior e formatos panorâmicos. Como requisitos mínimos para um monitor de trabalho, são geralmente recomendadas uma diagonal de ecrã de 23 polegadas (58 cm) e uma resolução Full HD (1920×1080 pixéis).

A secretária certa

Se a planta da casa o permitir, os utilizadores devem preparar uma divisão que possa ser usada exclusivamente como escritório em casa, pelo menos durante o dia. Por um lado, isto cria uma separação espacial do resto da casa e ajuda o utilizador a “desligar-se” do trabalho a partir do momento em que o dia de trabalho acaba. Por outro, simplesmente torna mais fácil a concentração no trabalho. Aqui é também importante que a mobília inclua uma secretária com espaço suficiente para o equipamento técnico e documentos de trabalho, bem como uma cadeira com a melhor ergonomia possível para que o utilizador se possa sentar confortavelmente.

Tanto secretárias como cadeiras vêm agora em modelos que não custam uma fortuna mas permitem um conforto significativamente maior durante o trabalho do que a mesa da cozinha – algo que muitos de nós têm experienciado nos últimos meses.

Acessórios técnicos

O teclado e o rato são obviamente necessários para um desktop, mas também não devem ser ignorados no caso de se usar um portátil. A palavra-chave aqui é “ergonomia”. Mesmo os trackpads mais avançados e os teclados de portátil mais recentes são concebidos principalmente para uso móvel em vez de para longos períodos de trabalho numa secretária permanente. Um rato e teclado independentes são muito mais confortáveis, mesmo se forem modelos de gama de entrada.

É também importante adquirir um headset adequado. Este dispositivo é tão importante como equipamento básico de escritório em casa como uma webcam HD, mas preenche duas funções ao mesmo tempo. Primeiro, permite comunicar com colegas durante conferências online e portanto deve integrar um microfone de alta qualidade. Segundo, o isolamento acústico adequado permite maior concentração, por exemplo ao final da tarde quando as crianças já estão em casa a fazer barulho. Para isto, é recomendado um modelo com tecnologia de cancelamento de ruído.

A lista de compras também deve incluir uma impressora, idealmente com scanner integrado. Desta forma, o escritório em casa fica equipado para lidar facilmente com qualquer tipo de comunicação ou processamento de documentos. Especialmente prático: a maior parte das impressoras mais recentes operam através de Wi-Fi, e assim é menos um cabo para arrumar.

Ligação de dados forte

Quando uma estação de trabalho para escritório em casa é instalada, há uma coisa que é muitas vezes esquecida, mas que é crucial: a ligação online. Quando a casa tem falhas na cobertura Wi-Fi, as videoconferências rapidamente se tornam num teste à paciência, e cada tentativa de aceder ao servidor da empresa através de VPN transforma-se numa pausa de café prolongada. Em casas privadas, este tipo de problemas torna-se pior à tarde, quando cada vez mais dispositivos usam a mesma largura de banda ao mesmo tempo.

Existem soluções de rede modernas para resolver estes problemas. A devolo, pioneira alemã em tecnologia powerline, transforma a rede elétrica existente numa autoestrada de dados ultrarrápida. Isto é conseguido simplesmente instalando um adaptador compacto numa tomada perto do router e ligando-o com um cabo Ethernet.

Depois, mais adaptadores podem ser instalados onde for preciso Wi-Fi forte. Isto quer dizer que qualquer tomada em casa pode ser transformada num ponto de acesso para Internet de alta velocidade. Num apartamento, normalmente bastam dois adaptadores, mas para habitações maiores estão disponíveis kits com mais adaptadores. Os produtos fornecem também funções Mesh Wi-Fi de ponta para uma ligação sem fios particularmente estáveis em todas as divisões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here