Caro, difícil de encontrar, com um processador do ano passado e um ecrã pouco luminoso pouco optimizado para os 120Hz que oferece aos utilizadores: o Razer Phone impressiona e nem sempre pelas razões mais úteis, mas pelo menos parece ter feito sucesso suficiente para que a Razer confirme estar a trabalhar num sucessor.

Tendo em conta que o Razer Phone original foi mostrado ao mundo em Novembro de 2017, não ficaria surpreendido que o seu sucessor fosse revelado ainda este ano, igualmente em Novembro, mas nenhum detalhe foi revelado quanto ao possível hardware deste dispositivo que para já é conhecido como Razer Phone 2 sem que exista confirmação do nome.

Na verdade, em termos de actualizações face ao seu antecessor não são esperadas revoluções, mas a presença do Snapdragon 845 a bordo será um passo fundamental, tendo em conta que ser o pioneiro da moda dos smartphones de gaming significou que a Razer se viu entretanto acossada por concorrência munida de equipamentos mais potentes.

Lembremos que a Razer é bem mais conhecida pelos seus serviços na área do gaming PC, e mostra sinais de querer alargar a sua pegada para o mundo mobile. Via Project Linda, um interessante conceito de dispositivo que tem uma slot para ser colocado o Razer Phone, a Razer pode inclusivamente criar um portátil de recurso municiado pelo smartphone, mas não restam dúvidas de que qualquer tentativa neste sentido seria muito favorecida por um processador ainda mais potente que o Snapdragon 835.

Esta possibilidade encontra-se bem patente no relatório de contas da Razer, que não revela as vendas exactas do Razer Phone, mas destaca o sucesso que o equipamento recolheu junto da crítica especializada e o seu papel pioneiro numa nova categoria de smartphones.

Considerando que o Razer Phone chegou primeiro, é normal que algumas das suas características pareçam algo mais rústicas que noutros equipamentos que se lhe seguiram. Em termos de design, ergonomia e relação qualidade-preço, a Razer terá mesmo que fazer alguns progressos.

1 COMENTÁRIO

  1. […] O Razer Phone foi certamente pioneiro, chegando ao mercado como o primeiro smartphone com ecrã de 120Hz e áudio THX. Não escapou totalmente às críticas e podemos dizer que o seu preço, aliado a uma concorrência crescente, não ajudaram a que fosse um sucesso de vendas. Mas foi certamente um sucesso suficiente para a marca considerar um sucessor, como consta no seu relatório de contas, por nós veiculado. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here