A Xiaomi abriu hoje as portas à entrada da família Redmi Note 9 na China e, como já havíamos anunciado, e a grande novidade é o novo Redmi Note 9 Pro que traz dois grandes argumentos: uma tremenda câmara de 108MP e conectividade 5G.

Há obviamente aqui algum rebranding envolvido. O Redmi Note 9 Pro 5G é efetivamente um Xiaomi Mi 10T Lite, por seu turno um Poco X3, com um sensor de 108MP. No seu restante, o Redmi Note 9 Pro 5G mantém a generalidade das especificações do Mi 10T Lite. Assim, encontramos o mesmo ecrã de 6.67 polegadas FHD com 120Hz de taxa de atualização e o mesmo processador Snapdragon 750G com 6 ou 8GB de RAM e até 256GB de armazenamento interno. A bateria é a mesma, com 4820mAh e carregamento de 33W.

No departamento das câmaras muda apenas a câmara principal. Sai a unidade de 64MP e entra uma tremenda câmara de 108MP, mas no restante mantém-se o alinhamento relativamente espartano perfeitamente consistente com o segmento de preço. Falamos portanto de uma ultragrande angular de 8MP, uma macro de 2MP e um sensor de profundidade de igual resolução, enquanto a câmara frontal é de 16MP.

A par com o Redmi Note 9 Pro 5G foi revelado igualmente o Redmi Note 9 5G e o Redmi Note 9 4G, smartphones que têm muito em comum.

Especificamente, mobilizam um ecrã de 6.53 polegadas FHD com taxa de atualização de 60Hz. Nas câmaras contamos com uma unidade principal de 48MP, uma ultragrande angular de 8MP e um sensor de profundidade de 2MP.

Depois começam as diferenças. Enquanto o Redmi Note 9 5G utiliza o interessante Mediatek Dimensity 800U com 6/8GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, com uma bateria de 5000mAh e carregamento de 18W.

Já o Redmi Note 9 4G recorre ao Snapdragon 662 com 128GB de armazenamento e 4GB de RAM, e uma bateria de 6000mAh com carregamento de 18W. Se estas especificações são familiares é porque são, ponto por ponto, as do Poco M3, que me parece um smartphone muito excitante para o preço. O design, no entanto, é menos arrebatador.

O alinhamento da Xiaomi por vezes é difícil de seguir. Um Poco, um Xiaomi, um Redmi. Mas no que conta, a marca Chinesa consegue refrescar o seu portefólio com o suficiente para se manter interessante, e este é o caso aqui. Mas a confusão não acaba: é bom possível que quando chegarem às praias Europeias chamemos a estes dispositivos Redmi Note 10 e Redmi Note 10 Pro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here