A Samsung apresentou há apenas um mês a nova geração do seu muito conceituado Watch. Com a chegada do Samsung Galaxy Watch 4, a Samsung apresentou uma enorme novidade na adoção do Google Wear OS, após anos e anos de investimento e desenvolvimento do Tizen OS que já se tornara uma imagem de marca. Como é óbvio, a transição para o sistema da Google abriu as portas a um relógio muito mais inteligente por acesso a um leque muito superior de aplicações. No Galaxy Watch 4, uma ligação direta à Play Store permite desde logo instalar no Watch um número crescente de aplicações que também temos no smartphone.

O software é apenas a ponta do icebergue. O Samsung Galaxy Watch 4 mantém a tradição dos Galaxy Watch por elegância e qualidade superior, mas também se destaca pela inovação com o seu BioActive Sensor que permite medir o índice de massa corporal ou fazer um eletrocardiograma. São novidades de monta que mant
em o Galaxy Watch4 no topo do campeonato dos smartwatches.

Design limpo e elegante

O Samsung Galaxy Watch4 tem linhas ao mesmo tempo simples e elegantes, com um ecrã circular plano envolto por um chassis de ângulos retos em alumínio reforçado que é 10% mais forte que alumínio tradicional. O acabamento é fosco, um toque bastante interessante, com a porção interior polida, e destacam-se os dois botões físicos na lateral, um dos quais rematado em laranja, para um toque de cor adicional. Não há, por isso, uma coroa, mas o controlo da navegação entre menus e aplicações faz-se através do ecrã sem dificuldades.

Estes botões não são apenas isso. Servem também de elétrodos de contacto para quando temos de medir a massa corporal. São fáceis de encontrar e de utilizar, com um toque muito leve.

Sempre excelente, agora com Wear OS

Os Galaxy Watch sempre foram particularmente funcionais e com excelente integração com o smartphone. O Watch4 só muda para melhor, levando ainda mais longe a interligação com o telemóvel, graças ao Wear OS: se instalarmos uma aplicação Android com equivalente no Wear OS, o Watch4 vai instalá-la também, o que significa que o que fizermos nessa app num dos equipamentos reflete-se no outro. Uma lembrança no telemóvel será uma lembrança no relógio, um evento do calendário também.

Como anteriormente, a Samsung enfiou bastantes utilidades no Watch4. Pode não parecer muito intuitivo, mas é-o: escrever uma mensagem de resposta com o diminuto teclado a bordo não é difícil, e a previsão de palavras funciona muito bem, se bem que não tenhamos a facilidade de escrever palavras letra a letra de um smartphone. É o tipo de possibilidade que adoro há muito tempo nos Galaxy Watch e que todos os bons relógios deveriam também ter.

E porque no trabalho estou frequentemente fora do meu lugar, aprecio o alcance da ligação entre o telemóvel e o Watch, mas também a exclusiva possibilidade de atender um telefonema diretamente no relógio, tirando partido dos altifalantes e dos microfones. Permite-me atender uma chamada enquanto vou a caminho do meu lugar, mesmo sem ter o telemóvel ou auriculares por perto, ou quando não me dá jeito ir ao bolso.

O controlo multimédia também é bastante intuitivo, com um slide para mostrar os controlos de música que incluem o volume, ajustável com gestos em torno do relógio.

Há sempre um mas…

O Samsung Galaxy Watch4 está carregado até às bordas de funcionalidades e ferramentas extremamente úteis. Se leram a análise até aqui percebem o quanto gosto deste relógio que nos oferece tanto. Claro que há sempre um “mas”, e no caso do Watch4 é que alguns detalhes estão acessíveis apenas para utilizadores de smartphones Galaxy.

Bom, não é apenas um detalhe, é mesmo o eletrocardiograma. E a pressão sanguínea. Foi algo frustrante para mim tentar instalar sem sucesso a Health Monitor obrigatória, até parar para pensar e ler, e perceber que a app era exclusiva para smartphones Galaxy e, com isso, também o eram o eletrocardiograma e a pressão sanguínea.

Não há nada de errado em a Samsung vocacionar o seu Watch4 prioritariamente para utilizadores do ecossistema Galaxy, claro. É apenas algo a levarmos em consideração se quisermos comprar um Watch4 por estas duas funcionalidades.

Autonomia

A autonomia do Watch4 é um dos pontos que poderá ser menos consensuais sobre este smartwatch. Com a enorme quantidade de funcionalidades, a autonomia que fui conseguindo extrair dele foi de um dia e meio, a partir do qual tinha de desligar as principais funções e limitar o Watch a ser apenas… um Watch. Por assim dizer. A bateria, no entanto, carrega-se muito facilmente, em cerca de hora e meia, o que é suficiente para dar boost de alguns minutos a meio do dia.

A melhor maneira de conseguirem dois dias completos de autonomia, um valor muito aceitável, é desligarem o ecrã sempre ligado! Talvez por poder abusar mais dele graças ao suporte Wear OS, pareceu-me que a bateria não se aguentava tanto quanto era a minha experiência com o Galaxy Watch 3, embora, tudo somado, com utilização idêntica, a diferença deverá ser mínima, se é que há.

Conclusão

Que smartwatch fantástico. Mais uma vez, a Samsung segue o seu caminho com o Galaxy Watch 4 e cria um produto extremamente maduro com mais funcionalidades do que poderíamos desejar, ganhando em muito com o acrescento do Wear OS e a compatibilidade com apps Google diretamente da Play Store. É um ponto nada negligenciável de melhoria sobre o Galaxy Watch 3.

O preço continua elevado e há a questão das funcionalidades bloqueadas exceto para quem tem um Samsung, pelo que só quem tem um Galax pode tirar realmente o máximo proveito do Galaxy Watch4. É o único ponto chato, mas não podemos criticar a Samsung por criar um ecossistema! Para todos os outros, e ainda que fiquem com um produto com funcionalidades “incompletas”, o bolo tem mais ingredientes que a maioria da concorrência, colocando o Watch 4 sempre no topo do seu jogo. A Samsung poderia ter refinado alguns aspetos, como a pulseira confortável mas banal incluída na caixa, mas em boa parte isto é uma questão de gosto e no fundo o Galaxy Watch continua a dominar enquanto outros podem na melhor das hipóteses ser “uma alternativa”.

REVIEW GERAL
Avaliação global
9.5
Fotografia, tecnologia, ciência: investigar escrever é uma paixão. Nas horas vagas, a caminho do trabalho ou de casa, cada minuto conta para descobrir e divulgar algo novo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here