Os computadores mais caros e aprimorados têm geralmente nomes sonantes a condizer com as suas aspirações de mercado. Por isso, atrás de um modelo com o nome HP 15-bs109np podemos adivinhar aspirações modestas e poucos luxos. De facto não os há aqui, mas este HP pode ser das melhores opções disponíveis no mercado neste momento para quem tem um orçamento extremamente limitado e necessita impreterivelmente de potência de processamento, mesmo que sacrificando outros pormenores. Afinal, o HP 15-bs109np é dos poucos equipamentos no mercado com um processador quad-core de última geração passível de ser comprado por menos de €600 e tornou-se uma grande surpresa quando tive que andar atrás de um portátil com o máximo do que precisava para trabalhar, sem pagar alguns extras de que julgava poder prescindir.

Características principais

O melhor processador do seu segmento de preço, é o que o HP 15 oferece com o Intel Core i5-8250U, quad-core de última geração, que geralmente encontramos em equipamentos amplamente mais caros.

Processador: Intel Core i5-8250U
Sistema operativo: Windows 10 Home
RAM: 8GB
Armazenamento: 1TB HDD 54000RPM
Ecrã: 15.6 polegadas, HD
Placa gráfica: AMD Radeon 520, 2GB RAM
Bluetooth: Bluetooth 4.0
Portas: 2 USB 3.1, 1 USB 2.0, HDMI, jack áudio, leitor SD

Design frugal

Ao contrário dos HP que costumam passar pelas nossas páginas, o HP 15-bs109np não prima pelo design excepcional que tem sido a marca do sucesso da HP. Pelo contrário, nada no HP é excepcional em termos de design: toda a construção é indisfarçavelmente em plástico, com bons remates, mas ampla flexibilidade e folgas mínimas nos encaixes.

As únicas superfícies que de algum modo procuram disfarçar os materiais plásticos são os suportes cromados do ecrã e o apoio de mãos, com o seu padrão em onda. Aqui, no entanto, conseguimos ver um dos primeiros pontos muito positivos do HP, na forma de um teclado completo com teclas alfanuméricas dedicadas, ainda que isso signifique que as teclas em si mesmas poderão ser mais pequenas que noutras ofertas. Mas também aqui algumas omissões que mostram a gama de preço “no frills” do HP: o teclado não possui qualquer tipo de iluminação, nem luzes indicadoras: a luz indicadora do disco rígido encontra-se na lateral onde é incrivelmente inútil, já que praticamente invisível.

Em termos de conectividade, o HP é razoavelmente moderno, mas sem luxos, não possuindo nenhuma porta USB-C. Em compensação oferece 3 USB-A, uma porta HDMI, uma ethernet e um leitor de cartões SD, além de encaixe para cadeado externo e jack áudio.

O áudio encontra-se na base, com perfurações simples, e a bateria é anormalmente compacta para um equipamento cujas grandes vantagens incluem a grande autonomia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Teclado

O teclado do HP 15-bs109np é um dos seus melhores pontos, já que as teclas se encontram muito bem posicionadas e com espaçamento razoável para permitir uma boa cadência de dactilografia. Com o espaço deste painel que não aposta em ser compacto, é possível encontrar um teclado alfanumérico completo para quem vai passar uma boa parte do seu tempo com números.

O teclado em si mesmo é algo plano e as teclas possuem um movimento muito bem definido e sólido – surpreendente, nesta gama de preço. O tipo de plástico utilizado e os decalques com a identificação das teclas apontam para que este equipamento não vá manter as teclas imaculadas durante muitos anos, mas o único ponto que me deixa com reservas é a pressão algo pesada necessária para activar as teclas e a dureza com que batem na base, sendo algo mais fatigantes que as que podemos encontrar em equipamentos bem mais caros.

No entanto, é extremamente fácil que nos habituemos a este teclado, graças ao espaçamento das teclas e à solidez da base, permitindo assim ao utilizador uma elevada cadência de escrita.

Ecrã

O HP 15 possui um ecrã de 15.6 polegadas antirreflexo. No nosso caso trata-se de uma unidade de resolução HD com o típico tratamento baço. Pessoalmente, este é o tipo de ecrã que prefiro para trabalhar no ambiente do escritório e no exterior.

A luminosidade não é elevada e sob a luz do sol o painel não é tão luminoso quanto gostaria, mas o acabamento fosco dissipa as luzes e significa que temos uma capacidade de visualização muito elevada, já que os reflexos não anulam nenhum ponto da imagem. Ao desactivarmos o modo de poupança da bateria, o brilho sobe apreciavelmente para um nível que os profissionais em movimento saberão apreciar.

As cores são algo deslavadas e os contrastes pouco expressivos, ponto que pouco importa se não formos apostar seriamente em tratamento de imagem, mas que deve ser levado em consideração caso o façamos, de forma a não exacerbamos os contrastes reais das imagens.

Performance acima do preço

A performance é o grande argumento da HP. Sob esta capa de design pouco ambicioso e construção sem pontos de louvor, o HP esconde um impressionante Intel Core i5-8250u de última geração, apresentado em 2017. Face à geração anterior, o i5-8250u duplica os cores e, portanto as threads, para uma performance que promete melhorar em cerca de 40% a performance da geração anterior, quase igualando segundo os benchmarks um Intel Core i7-7700HQ.

De facto, este chip não é budget e pode ser encontrado em algumas versões do HP Elite X360, ou supera em capacidade o Intel Core i5-7200U que municiona o Toshiba Portégé X30-D, em qualquer um dos casos computadores bem mais onerosos.

A este excelente processador, o HP 15 acrescenta uma gráfica AMD Radeon 520 com 2GB de memória dedicada, com o que o sistema dispõe em exclusivo dos seus 8GB de RAM e a gráfica terá agilidade suficiente para jogar mesmo jogos modernos desde que os gráficos não sejam puxados ao máximo. Os benchmarks colocam a Radeon 520 ao nível da Intel UHD Graphics 620, com uma vantagem que poderemos considerar escassa face à gráfica integrada, mas a memória RAM extra é sempre uma mais-valia.

Na utilização quotidiana, a capacidade do chip nota-se com uma resposta rápida do sistema e uma ampla capacidade de processamento em standby para qualquer boost. A prova do fogo é o gaming e a edição de vídeo, onde o HP passa com distinção. Porquanto não podemos exigir os gráficos em alta resolução, jogos como Call of Duty: Modern Warfare 3, Dead Space 2 ou Mass Effect 2 ainda impressionam, tal como Asphalt Extreme, World of Tanks, Modern Combat Versus ou Modern Warfare. São, claro, jogos com alguns anos, mas não pode ser uma crítica que um portátil de €600 não corra com brilho os mais novos e mais potentes jogos, mas corre extremamente bem alguns dos meus favoritos.

Já na edição de vídeo, graças ao chip vitaminado, o HP 15 consegue dar-me maior fluidez de trabalho que alguns equipamentos bem mais caros que me passaram pelas mãos. Não é o tipo de máquina para uma edição de vídeo com grandes efeitos especiais, mas encaixa bem os típicos vídeos para o YouTube.

Ora quando estou a puxar pelo HP 15 nestas condições, o aquecimento faz-se notar, mas mérito lhe seja dado, a refrigeração continua a ser relativamente silenciosa, nunca prejudicando o fluxo de trabalho. Será mesmo dos equipamentos mais silenciosos que já experimentei.

Bateria

Como na maioria dos casos, também aqui é apregoada a capacidade da bateria durar o dia todo. Isto depende de diversas variáveis e felizmente o HP 15 de facto permite com alguma segurança dizer que saímos e chegamos a casa novamente com sumo ainda na bateria.

Se bem que o processador seja potente, a série U é pensada para baixa voltagem, e o ecrã de baixa resolução significa que poupamos em processamento, enquanto o acabamento fosco permite baixar o brilho sem comprometer a legibilidade.

Entretanto, o HP Fast Charge permite carregar a bateria 90% em hora e meia. Na prática, a autonomia do HP 15 é um dos seus pontos mais fortes, tendo em conta as capacidades que coloca ao nosso dispor.

Conclusão

Como obter o melhor processamento possível quando temos que contar os tostões? Esta foi a pergunta que tive que colocar a mim próprio, à procura de um computador que não me deixasse pendurado em termos da sua capacidade de processamento, já que cada segundo conta num artigo, num vídeo, numa janela que se abre, quando se trabalha em contra-relógio.

Quando se juntam exigências e orçamentos predefinidos, é mais do que certo que temos que fazer compromissos, listar o que é ou não essencial. Se capacidade de processamento e um sistema musculado são um imperativo, então o HP 15-bs109np é uma das raras opções que se destaca com chip líder de mercado por um valor abaixo dos €600, segmento povoado por equipamentos que oferecem meramente o básico.

No final de tudo, frugal e discreto, o HP 15 oferece uma utilização ágil de dinâmica e garante que o que temos a fazer é feito a tempo e horas, quando cada segundo conta, colocando nas mãos de profissionais intensivos uma ferramenta de elevada produtividade e preço inacreditavelmente competitivo.

REVIEW GERAL
Design e construção
6.5
Hardware
8,7
Bateria
9
Experiência de utilização
8.5
Relação qualidade-preço
9
COMPARTILHAR
Fotografia, tecnologia, ciência: investigar escrever é uma paixão. Nas horas vagas, a caminho do trabalho ou de casa, cada minuto conta para descobrir e divulgar algo novo.

DEIXE UMA RESPOSTA