É um lugar solitário, o topo. Dizem. Mas, para a Mi Smart Band 6, o topo está cheio de concorrência feroz. Desde a sua primeira geração que as Mi Smart Band são referências de funcionalidade e especificações a preço justo. Não é fácil concorrer contra uma Mi Band, nem mesmo quando se é uma Mi Band e, por isso, a Mi Smart Band 6 tem pela frente o árduo trabalho de manter a popularidade e o bom nome de um dos equipamentos mais populares no mundo dos wearables.

Xiaomi Mi Smart Band 6: características principais

A Xiaomi Mi Smart band 6 pesa apenas 12.8g e mobiliza um ecrã AMOLED de 1.56″ com resolução 486 x 152 com um brilho máximo de 450 nits. Conta com uma bateria de 125mAh, acelerómetro de 3 eixos, giroscópio de 3 eixos, sensor de frequência cardíaca e sensor de oximetria.

A sua construção é também resistente, com a Mi Smart Band 6 sobreviver imersão até 50 metros.

A fórmula certa: melhorada

A Xiaomi Mi Smart Band tem uma fórmula estilística muito identificável, uma forma de pílula que já todos conhecem ao longe. Desligada, a Smart Band 6 confunde-se a todos os níveis com a Mi Band 5. Não tem apontamentos estéticos vistosos, nem vai fazer virar cabeças, mas quando se liga eis que a nova Band revela este glorioso novo ecrã OLED com rebordos minimizados e que é agora maior que nunca, com um tamanho máximo de 1.56 polegadas.

Se a Mi Band 5 tinha esta forma de pílula, a verdade é que o ecrã propriamente dito mantinha uma forma retangular. No caso da Mi Smart Band 6 o ecrã é agora oval para acompanhar as formas gerais exteriores da Mi Band, e com isso ganhamos muito espaço.

Tal como a Mi Band 5, a Mi Smart Band 6 é simples de encaixar e remover da bracelete para a trocarmos por uma a nosso gosto. É algo mais grossa que a sua antecessora, mas em conjunto com esta bracelete é extraordinariamente leve no pulso. São, afinal, apenas 12.8g e o difícil é acreditar que se colocou tanto hardware em tão pouco volume. Mal se sente.

O ecrã é o centro de toda a experiência da Mi Smart Band 6. Ao estender-se para as duas extremidades curvas, ganha em área e local para mostra de informações, e gera um design tremendamente limpo, sem necessidade de botões físicos. Nas suas 1.56″, o ecrã é suficiente para ser manuseado com todo o conforto com simples toques e gestos.

E portanto temos um excelente ecrã. Com a tecnologia OLED, os contrastes são fortes, com negros puros e um nível de luminosidade máximo que possibilita uma visibilidade excecional, mesmo em plena luz do dia. É realmente um excelente ecrã, tão bonito quanto espaçoso e, com uma camada eficiente anti-dedadas, o vidro nem se suja particularmente. Em última instância é também ágil e responsivo, com pouco lag, contribuindo para uma experiência de utilização muito agradável.

Muitas funções para pouco preço

A Xiaomi Mi Smart Band 6 é uma Smart Band firmemente localizada no segmento budget e, por isso, não tem algumas das funcionalidades que poderemos encontrar em relógios de €200 ou €300: não respondemos a notificações, nem fazemos chamadas a partir dela. Também não temos armazenamento interno para músicas ou novas aplicações, ou mesmo um GPS para podermos ir dar o nosso passeio sem depender de um telemóvel. Mas, para uma pulseira que custa muito menos que estes equipamentos, reúne um set muito louvável de sensores, acrescentando-se a medição de oxigenação do sangue.

O sensor SPO2 estava em falta na sua antecessora e é uma adição muito bem-vinda, já que o nível de oxigénio no sangue é um importante indicador da nossa saúde respiratória, principalmente na época pandémica em que nos encontramos. A medição deste valor pode ser ativado manualmente quando queiramos ao longo do dia, mas funciona de modo automático durante a monitorização do sono.

A ele juntam-se os sensores de frequência cardíaca, stresse e de sono, já mencionado.

Portanto, por um valor bastante em conta, temos uma solução ampla de monitorização biométrica. A Band também nos deixa controlar a música, receber notificações e monitorizar a nossa atividade física, com reconhecimento automático de diversos exercícios. Também temos um ecrã com dados meteorológicos e um relógio mundial para os mais viajados entre nós. Como o ecrã é amplo, a informação cabe maioritariamente num ecrã e embora tenhamos um ponto específico para os dados meteorológicos, o ecrã principal com as horas tem uma preview da temperatura e do estado do tempo, além dos dados biométricos que se dispõem em torno do ecrã principal das horas.

Mi Fit

A Xiaomi Smart Band 6 é altamente dependente da Mi Fit, a sua app companheira e, felizmente, esta é fácil de utilizar e acrescenta grande valor à Mi Smart Band. Por vezes, a dependência parece-me excessiva, já que algumas configurações que deveriam estar diretamente na Band estão no smartphone, como por exemplo configurar o nível de brilho e o gesto de levantar para a acordar. Prefiro sempre um máximo de configurações disponíveis no próprio relógio ou band, porque francamente é mais intuitivo. Se isto não é possível, então que a app seja bastante completa e é o que aqui temos.

A Mi Fit está bem compartimentada, com uma secção de treino, uma de perfil, e outra de amigos. É na secção de perfil que acontece a magia. Aqui encontraremos os nossos dados, mas também podemos pressionar diretamente sobre o ícone da Smart Band 6 uma enormidade de configurações passíveis de alteração na Mi Smart Band, incluindo o tipo de vibração para cada alerta ou as definições de rastreios biométricos e outras funcionalidades.

À medida que vamos viajando nestes menus percebemos que há na verdade muita riqueza por onde ajustar a pulseira ao que precisamos.

Autonomia

Estou a dar à Mi Smart Band 6 uma utilização típica, sem puxar particularmente por ela, e isso traduz-se em um carregamento por cada semana e meia. Isto não é francamente longe do que a Xiaomi promete, ou entre 5 dias com utilização intensiva e 15 com utilização leve.

Diria que a minha utilização está mais ou menos entre os dois valores, se consideramos que tenho o brilho no máximo e o levantar para acordar, o que certamente ajuda a ativar o ecrã mais vezes. Toda a autonomia é, obviamente, um jogo entre as funcionalidades que querem ativar manualmente ou a correr constantemente, mas os valores da Xiaomi são realistas e extremamente positivos, pelo menos para uma utilização sem preocupações durante um par de semanas. Se, por outro lado, estiverem com os rastreios biométricos ligados, incluindo monitorização do sono, aí a autonomia já irá mesmo descer para uma semana ou menos.

O sistema de carregamento é idêntico ao da Mi Band 5, com um conector magnético proprietário, o que parece ser a norma nestes wearables que realmente não têm muito espaço para sistemas USB. O que importa é que é eficaz, e em duas horas dá-nos uma carga completa. Feitas as contas, imaginando que nos esquecemos de carregar a Mi Band um dia destes, uma hora enquanto tomamos o pequeno-almoço dá-nos para a semana toda, o que é estupendo.

Ainda no topo

Não é fácil concorrer com uma Mi Band e a Mi Smart Band 6 apenas torna isso mais verdade. A Xiaomi é uma lançadora de modas. Foi assim com os ecrãs bezel-less que se tornaram tão comuns que nem sequer usamos já o termo, e foi assim também com as Band. Claro que lançar modas pode funcionar contra nós, à medida que mais concorrentes tentam obter uma fatia do bolo.

Foi assim com a Xiaomi. Hoje não faltam no mercado smart bands para todos os gostos e preços. A Xiaomi não pode parar por um segundo e tem de continuar a criar argumentos para se manter no topo do seu jogo. Para o fazer, com a Mi Smart Band 6, a Xiaomi procurou os pequenos grande detalhes, mantendo intacta a filosofia da Mi Band 5, mas melhorando-a significativamente com um excelente novo ecrã e o novo sensor de oximetria. Se o ecrã OLED é impecável e louvavelmente amplo, perfeitamente- útil para tudo desde ver as horas até controlar a música ou ler notificações, o software Mi Fit faz o resto e completa as especificações com amplas possibilidades de ajustes.

A €44.99, a Mi Smart Band 6 ainda oferece uma relação custo-benefício imbatível que a torna uma escolha de eleição para os utilizadores de smart bands.

REVIEW GERAL
Pontuação global
8.5
Fotografia, tecnologia, ciência: investigar escrever é uma paixão. Nas horas vagas, a caminho do trabalho ou de casa, cada minuto conta para descobrir e divulgar algo novo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here