Oh, o maravilhoso mundo da Internet: quando as fugas de informação não acontecem por via de terceiros, são as próprias marcas quem coloca online, antecipadamente, praticamente tudo o que queremos saber sobre um smartphone. Foi o que aconteceu com o Samsung Galaxy A9 (2018), revelado quase na íntegra pela Samsung Rússia e que, de modo nada surpreendente, será um verdadeiro colosso.

Se são atentos seguidores das novidades da tecnologia, saberão por esta altura que o o Samsung Galaxy A9 (2018) não terá simplesmente duas ou três câmaras, mas uma pequena constelação de 4 câmaras principais, cujas especificações a Samsung revelou agora por mero descuido e – curiosamente – não há uma única câmara monocromática.

Assim, tiremos da frente a câmara gimmick, uma unidade de 5.5MP f/2.2 que serve apenas para medição de profundidade de campo e ajustes no Live Focus. Entretanto, logo acima, a câmara principal é uma potente unidade de 24MP f/1.7, valores extraordinários fora da gama alta. Sempre subindo, encontramos ainda a câmara de 10MP f/2.4 para zoom óptico 2X e, finalmente, uma câmara ultragrande angular com 8MP f/2.4 e 120º de ângulo de visão.

Porquanto o Samsung Galaxy A9 (2018) estabeleça um novo recorde de número de câmaras principais, e um que nem o Huawei Mate 20 Pro igualará, continua a ser para mim uma má ideia câmaras ultragrande angulares com resolução reduzida, face ao facto de que o ângulo de visão aumentado significa mais detalhes para encaixar em menos pixéis. Infelizmente, este é um resultado da falta de espaço num smartphone moderno, dificultando a introdução de uma lente UGA com círculo de cobertura capaz de utilizar um sensor maior.

Ainda assim, a polivalência fotográfica que este smartphone permitirá é neste momento insuperável e os seus argumentos para os amantes da fotografia mobile são amplos. Sabemos obviamente que as câmaras terão Live Focus, mas a Samsung está igualmente a mencionar algo a que chama de Detecção de Defeitos, que em teoria (e marketing) tornará a fotografia “perfeita”, detectando imagens de pessoas com os olhos fechados ou imagens desfocadas.

A página da Samsung revelou ainda mais detalhes, a começar pelo ecrã Super AMOLED de 6.3 polegadas FHD+ com funcionalidade always on e sem notch, claro.

Ora, se bem que a Samsung não tenha revelado exactamente qual o processador, teremos a bordo um octa-core com 6 ou 8GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, que deverá ser o valor máximo. Finalmente, uma bateria de 3800mAh chega com carregamento rápido.

Com especificações deste tipo, é óbvio que a Samsung está a cumprir bem a sua promessa de trazer para a gama Galaxy A inovações e features atraentes, que anteriormente reservaria para os Galaxy S, de forma a combater mais eficientemente a concorrência Chinesa. O lançamento do Samsung Galaxy A9 (2018) está iminente, mas com poucos segredos ainda por revelar, sabemos já que este será um smartphone potencialmente colossal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here