A Samsung parece andar sempre a correr atrás da concorrência da Qualcomm em termos da eficiência energética dos seus processadores móveis. Os Coreanos revelaram agora o Exynos 990, aquele que poderá ser o processador do Galaxy S11, e com o qual a marca poderá recuperar a vantagem sobre a Apple, e mesmo sobre a concorrência mais direta.

Apesar do que noticiamos anteriormente, não foi desta que a Samsung desistiu dos seus núcleos custom Mongoose. O Exynos 990 tem de facto dois, baseados nos novos cores Cortex A77, revelados em Maio com a arquitectura Valhall. Embora a hipótese de que a Samsung deixara cair os Mongoose se referisse ao Exynos 9830, parece neste momento pouco provável que a Samsung crie dois processadores de gama alta, e o mais provável é que o Exynos 9830 seja o 990 renomeado.

O chip mantém uma arquitectura octa-core e, além dos dois núcleos custom de alta performance, temos dois núcleos intermédios A76 e, finalmente, 4 núcleos Cortex A55.

O Exynos 990 é fabricado num processo de 7nm EUV que permite maior fidelidade de padrões e litografias mais exactas, sendo aqui que poderá lutar por uma vantagem sobre o actual A13 da Apple. Litografias mais exactas significam maior eficiência dos componentes, e isso significa em teoria menos desperdício energético. Outra vantagem é que o Exynos 990 é o primeiro processador a suportar RAM DDR5 a 2750MHz, traduzindo-se em taxas de transferência de dados de 5500mbps.

A GPU eleita é a Mali G77, igualmente revelada em Maio com a nova arquitectura Valhall. Em termos de performance, a G77 promete 20% de performance superior face à sua antecessora, o mesmo acontecendo com o Exynos 990, se bem que face a quê? Certo é que o processamento neural recebeu um boost: a NPU dual core presente agora é capaz de 10 TOPs.

Do lado da fotografia, o Exynos 990 oferece um novo processador de sinal de imagem. A Samsung diz-nos que pode acolher até seis câmaras e utilizar três em simultâneo, e é compatível com câmaras de 108MP. Poderemos ainda filmar vídeos em 8K a 30fps e impressionantes vídeos a 120fps a 4K. Mais interessante é que o processador é compatível com ecrãs a 120Hz, o que poderia ser uma excelente indicação das funcionalidades do Galaxy S11, mas a Samsung é algo tradicionalista e poderá passar ao lado desta funcionalidade em específico para não comprometer a bateria.

Finalmente, a Samsung anunciou o modem Exynos 5123. O chip suporta redes 5G no espectro sub-6GHz e é o primeiro a ser fabricado em litografia de 7nm EUV. No Exynos 990, não será um modem integrado, uma decisão peculiar, mas funcionará de forma externa ao processador, indicando que algumas versões do S11 poderão ser comercializadas apenas com o modem integrado 4G que promete ainda assim excelentes velocidades de pico de 3000Mbps.

A Samsung estabelece que o fabrico do Exynos 990 começará ainda em 2019 para uma chegada ao mercado no início de 2020, sendo o candidato mais provável o Galaxy S11.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here