Após muito ruído e expectativas, o Xiaomi Mi A3 é finalmente oficial, mas se a hype foi enorme ao longo destes dias, o resultado final poderá não agradar a todos. O Mi A3 é, afinal, a versão internacional do Xiaomi Mi CC9e, sem tirar nem pôr, não se confirmando por isso os rumores mais otimistas. Mas, não percamos de vista que o Xiaomi Mi A3 tem ainda assim muitos argumentos a seu favor.

O ano passado, o Xiaomi Mi A2 foi lançado com um Snapdragon 660, oferecendo excelente processamento por um preço de €200 ou menos. Era simplesmente extraordinário e, à primeira vista, o novo Snapdragon 665 pode parecer apenas um pequeno upgrade, mas é um chip melhor, mais eficiente, com melhor integração de inteligência artificial, e promete uma experiência de utilização francamente melhor.

Face ao Mi A2, o Mi A3 melhora inúmeros pontos, a começar por um design mais refinado, com acabamento texturado que cria belos efeitos luminosos na face traseira e um ecrã com um pequeno notch em gota de água e rebordos mais pequenos, que é muito melhor aproveitado que o do seu antecessor. O ecrã inclui, inclusivamente, um leitor biométrico, possível por se tratar de uma unidade Super AMOLED, embora possa haver aqui um certo downgrade, já que o novo ecrã de 6.01 polegadas chega com resolução HD+, em vez do FHD do seu antecessor.

Um ponto quiçá mais importante em termos de upgrade é certamente a entrada em cena de uma câmara de 48MP otimizada para condições de baixa luminosidade e capaz de vídeo 4K, enquanto a câmara selfie oferece impecáveis 32MP. Sem surpresas, tratando-se da versão internacional do CC9e, o Xiaomi Mi A3 conta ainda com uma câmara de 8MP e uma terceira de 2MP.

Finalmente, há um enorme upgrade em termos de autonomia, com a entrada em cena da bateria de 4030mAh, substituindo a bateria de 3000mAh do Xiaomi Mi A2. A bateria é capaz de carregamento rápido de 18W, mas a caixa inclui apenas um carregador de 10W.

O Xiaomi Mi A3 chega ao mercado, obviamente, com o Android Pie na sua versão mais limpa, em vez de carregar a MIUI do CC9e. O preço, esse, começará nos €249, isto para a versão com 64GB, sendo que por €30 mais, podemos obter a versão com 128GB, ambas com 4GB de RAM.

Até agora, a Xiaomi não revelou qualquer detalhe sobre as versões Lite ou Pro de que os rumores davam conta. Nesse sentido, é realmente uma pena que a Europa pareça não estar destinada a receber a versão maior do CC9, com o seu mais potente Snapdragon 730.

Se o Xiaomi Mi A3 parece ser a vossa praia, os envios começarão a 24 de Julho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here