Foi um dia em cheio para a ARM e, obviamente, para os entusiastas de tecnologia, com o anúncio dos Cortex-X3, Cortex-A715, e ainda com a GPU Immortalis-G715, a primeira com hardware de ray tracing.

Nas últimas duas gerações, os núcleos ARM Cortex-X têm sido sinónimo de desempenho nos melhores processadores do mercado mobile. A terceira geração chega agora, como a segunda geração da arquitetura ARMv9.

O novo núcleo promete 25% de desempenho extra sobre os atuais Cortex-X2, mas para os Windows on ARM a melhoria será ainda mais significativa, com um aumento de potência de 34%, um boost bem necessário.

O maior potencial do Cortex-X3 será atingido com as melhorias introduzidas no sistema DynamIQ, que agora permite até 12 núcleos num SoC que pode ter um brutal setup com 4 X3 e 4 A715. E se a possibilidade existe, podem acreditar que alguém a fará.

Os núcleos Cortex-A715, entretanto, evoluem os A710, mantendo uma performance idêntica, com consumo energético 20% inferior. Ou então podem ser puxados para obterem um desempenho 5% superior com o mesmo consumo. A assimetria do indicador mostra claramente o foco na eficiência e, curiosamente, os Cortex-A510 foram igualmente melhorados para terem uma eficiência energética 5% superior, por comparação à sua especificação atual.

A seguir, discutivelmente o passo mais frente para a ARM, com o anúncio da GPU Immortalis-G715, a sua primeira com ray tracing, diretamente no hardware, com um aumento de desempenho de 300% por comparação à solução de software da G710.

Entretanto, a família Mali continua a existir e há mesmo dois lançamentos novos, na forma das Mali-G715 e G615, que entre elas contam com Variable Rate Shading (VRS) e o dobro da capacidade de aprendizagem automática da geração anterior.

Podem saber mais sobre as novas GPU aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here