O que é um Podcast? Como surgiram e em que estado estão hoje em dia? A 30 de Setembro celebra-se o Dia Internacional do Podcast, um meio de comunicação tão recente que em alguns países mal tem idade para beber cerveja. Para um bom Podcast, uma boa internet é fundamental. Por isso, a Devolo leva-nos pela história dos Podcasts e dá-nos algumas dicas para os fazermos com qualidade.

A história dos podcasts

Tendo ganho uma popularidade considerável nos últimos anos, o formato podcast continua a ser relativamente novo. No entanto, ao mesmo tempo, o medium já existe há muito tempo, pelo menos se considerarmos a idade da Internet. O conceito remonta aos primeiros programas de rádio na Internet. Já em agosto do ano 2000, por exemplo, os New England Patriots (uma equipa de futebol americano) transmitiram o programa “PFW in Progress”, que, após a transmissão em direto, foi disponibilizado para download a partir do website da equipa. No mesmo ano, o formato de ficheiro RSS (Rich Site Summary) teve grandes desenvolvimentos.

Os feeds RSS assumiram-se como uma ferramenta para fornecer novas informações em websites. Inicialmente, eles eram utilizados principalmente para software de leitura de notícias, que informavam os utilizadores sobre as últimas manchetes em portais de notícias, sem que esses utilizadores tivessem de visitar diretamente os sites. O RSS conseguiu também a capacidade de transmitir conteúdos áudio e vídeo em 2000. Assim nasceu o podcast: programas com subscrição que estão automaticamente disponíveis nos dispositivos finais dos utilizadores no momento da sua publicação e que podem ser reproduzidos (e interrompidos) em qualquer altura.

Do nicho para o mainstream

Durante os seus primeiros anos, a ideia do podcast era conhecida apenas por alguns. A maioria deles eram emissões “por geeks da tecnologia para geeks da tecnologia”. Esta generalização mudou muito desde então. A pandemia de COVID-19, sobretudo, potenciou o crescimento de podcasts produzidos e consumidos em Portugal.

A principal mais-valia do podcast é o quão descomplicado é para produtores e ouvintes começar a publicá-los e a ouvi-los. Para os produtores, não é necessário muito esforço técnico para gravar e publicar podcasts. Para os consumidores, um grande número de aplicações está disponível para os subscrever e ouvir. O resultado é um arco-íris de tópicos facilmente descobertos por qualquer pessoa. Desde as atuais críticas de filmes até conselhos para novos pais, ou discussões científicas, talk shows divertidos, peças de teatro e séries emocionantes de crimes reais – existe um podcast para todos os gostos e todos os tópicos.

Ouça a qualquer momento e em qualquer lugar

Uma grande parte da crescente popularidade dos podcasts deve-se ao iPod da Apple, cujo próprio nome, não por acaso, contribuiu para a palavra “podcast”. A Apple reconheceu cedo a tendência e transformou o iTunes no primeiro grande ponto de acesso para podcasts – com uma função de transferência de ficheiros particularmente acessível entre o computador e o iPod. E embora o iTunes continue a ser uma plataforma significativa para podcasts, a maioria deles estão agora completamente disponíveis gratuitamente. Uma vasta gama de aplicações e software de podcast para todos os sistemas operativos comuns dá aos ouvintes a liberdade de escolherem onde e como querem ouvir os seus programas preferidos. As exceções são os espetáculos exclusivos que os serviços de streaming, como o Spotify, estão cada vez mais a incluir nos seus programas, e que só podem ser acedidos através destes fornecedores.

Com a enorme variedade de tópicos, enorme flexibilidade e disponibilidade 24 horas por dia, não é uma surpresa que a popularidade do podcast esteja a aumentar. Ao contrário dos programas de rádio da velha guarda, o conteúdo do podcast espera pelo seu ouvinte, e não o contrário. Os episódios podem ser encontrados e escutados semanas e meses após a publicação inicial. A reprodução pode ser pausada, rebobinada, acelerada e retomada em qualquer altura. Estas vantagens tornam os podcasts extremamente adequados para, entre outras coisas, preencher o tempo de silêncio, como em viagens, deslocações, momentos de espera ou limpeza.

Wi-Fi bom para ouvir bem

Antes de um podcast chegar aos ouvidos, tem primeiro de encontrar o seu caminho para um dispositivo de reprodução, que, ao que parece, é normalmente um smartphone. Em princípio, as redes móveis são suficientes para a transmissão de podcasts, mas os ouvintes podem também utilizar os seus dados disponíveis ao longo de um mês. É altamente recomendável, especialmente quando as viagens são planeadas, certificar-se de que a aplicação do podcast está atualizada antes de sair de casa. É aqui que o Wi-Fi privado desempenha o seu papel, em antecipação do prazer do podcast. Afinal de contas, não gostaria que o download do último episódio do seu podcast favorito demorasse mais tempo do que o seu tempo de reprodução.

Se o Wi-Fi doméstico for pouco fiável, é necessário recorrer a soluções de rede como repetidores ou adaptadores powerline. Mas qual o dispositivo recomendado? Regra geral, repetidores como o novo devolo WiFi 6 5400 são ideais para apartamentos e curtas distâncias. Por outro lado, se o Wi-Fi tiver que cobrir uma maior área ou vários pisos de uma casa, então os adaptadores powerline são a melhor escolha. Estes adaptadores usam a rede elétrica como se fosse um longo cabo de dados. A vantagem: paredes e tetos deixam de abrandar a rede doméstica. Tudo o que é preciso para isto são dispositivos compactos como os da série Magic da devolo para transformar qualquer tomada elétrica num ponto de acesso à Internet de alta velocidade – com ou sem Wi-Fi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here