E por carteira queremos dizer a capacidade de oferecer €1179 por um smartphone, nesta instância a versão mais modesta do novíssimo iPhone Xs. Mas, em troca deste valor quiçá excessivo para muitos, o iPhone Xs apresenta muitos argumentos, das câmaras novas ao novo processador.

O design não é certamente um desses argumentos, considerando que estilisticamente o iPhone Xs e o iPhone Xs Max são cópias quase integrais do agora descontinuado iPhone X. A Apple terá concluído que se o iPhone X conseguiu vender mais de 60 milhões de unidades, não haveria nada que devesse mudar no seu design e foi precisamente isso que fez. E de facto não há nada de errado que possamos apontar à qualidade de construção do iPhone X, mas além de manter o estilo desse smartphone tão influente, a Apple declarou que o vidro do painel traseiro dos iPhone Xs e Xs Max é o vidro mais resistente alguma vez utilizado num smartphone, sem no entanto entrar em grandes detalhes.

Quanto às diferenças entre os iPhone Xs e Xs Max, elas começam nos ecrãs, com o iPhone Xs a apresentar um ecrã de 5.8 polegadas e o seu irmão maior um de 6.5 polegadas. Tratam-se ambos de ecrãs OLED extremamente avançados com suporte HDR10 e Dolby Vision, com um aumento de 60% da gama dinâmica face ao iPhone X, True Tone e 3D Touch. O notch mantém-se lá, sem qualquer mudança apreciável, e o FaceID regressa.

Ambos os dispositivos introduzem ainda uma grande novidade a nível do áudio, com a chegada da gravação estéreo com quatro microfones, com a Apple finalmente a apanhar alguma da sua concorrência mais directa que já o faz há diversos anos.

O melhor processador do mundo

Ainda está para nascer o processador mobile que consiga uma performance comparável aos chips da Apple, e o Apple A12 Bionic voltará a ser um processador dominante. Tal como o A11, trata-se de um hexa-core com 2 núcleos de performance e 4 de eficiência, 15% mais potentes e 40% mais eficientes. A bordo encontra-se uma nova GPU com 50% de performance extra e a nova NPU aumenta para 5 triliões o número de operações por segundo que consegue fazer.

De modo mais significativo, tendo a Huawei já anunciado o seu Kirin 980, o iPhone Xs será o primeiro smartphone do mundo a chegar ao mercado com um processador fabricado em 7nm, o que lhe dará uma impressionante eficiência energética.

Novas câmaras, muito melhoradas

Em 2017, as câmaras do iPhone X recolheram os louvores da crítica e as dos iPhone Xs e iPhone Xs Max não deverão ser diferentes. Embora se mantenham as duas câmaras de 12MP em ambos os modelos, estamos perante novos sensores com pixéis maiores de 1.4 micrómetros, prometendo melhor detalhe e performance em baixa luminosidade.

A maior novidade, entretanto, é o Smart HDR. Se todos os smartphones conseguem fazer fotografias HDR com junção de diversas exposições, a Apple quer ir mais longe e ainda sem detalhar totalmente a funcionalidade parece indiciar que o novo processador de sinal consegue capturar melhor detalhe nas sombras e nas altas luzes em tempo real, com capacidades muito superiores na fusão de imagens e selecção dos detalhes a preservar. o modo de retrato com um look menos artificial, gerado pela separação extrema entre a face e o plano de fundo.

Em diversos aspectos, os novos iPhone Xs e iPhone Xs Max são prodígios tecnológicos, e quem quiser um não terá que esperar muito tempo, porque os dispositivos entram em pré-encomenda a partir de 14 de Setembro, com disponibilidade a partir de dia 21.

Os preços são condizentes com a elevada tecnologia a bordo, com o iPhone Xs a começar nos €1179 para a versão de 64GB, e €1579 para a versão com 512GB. No caso do iPhone Xs Max podemos acrescentar €100 a cada versão.

DEIXE UMA RESPOSTA