Os Motorola Moto Z foram smartphones muito promissores, com design lindíssimo, mas o facto de estarem presos ao seu design modular acabou por pesar e a Motorola afastou-se momentaneamente dos equipamentos de gama alta. Reentra nele hoje com um soberbo Motorola Moto Edge+ que, livre de restrições impostas por retro-compatibilidade ou a necessidade de acomodar módulos, é muito claramente o seu mais ilimitado equipamento topo de gama de sempre.

O Motorola Edge+ não cede a compromissos e oferece uma lista de especificações que não ficará a dever nada e nenhum flagship, começando pelo processador e terminando na câmara de 108MP, passando pelo design que inclui um ecrã OLED curvo praticamente sem rebordos. O OLED de 6.7 polegadas não é apenas curvo, mas apresenta laterais inclinadas uns bons 90 graus.

Apresenta ainda proporções de 21:9, um rácio de aspeto popularizado pela Sony e ao qual a Motorola tem aderido, pelo seu aproximar ao formato cinematográfico que já vemos em muitas produções no cinema e serviços de streaming. A destacar igualmente a resolução FHD+ e a taxa de atualização de 90Hz e a possibilidade de usar a curvatura para configurar gatilhos de ombreira, que serão muito úteis para gaming.

Um ponto dominante no design do Motorola Edge+ é o enorme módulo fotográfico que acolhe três câmaras. Falamos de uma unidade principal de 108MP, acompanhada de uma ultragrande angular de 16MP que faz as vezes de macro, e uma câmara de 8MP para zoom 3X. Um último sensor ToF pode também ser encontrado no Motorola, que encerra o departamento fotográfico com uma câmara selfie de 25MP.

E que podemos dizer quanto ao processamento?

Este fica a cargo de um potente Snapdragon 865, que também lhe confere conectividade 5G. A acompanhá-lo estão 12GB de RAM e 256GB de armazenamento interno, e atenção que estamos a falar de RAM DDR5 e memórias UFS 2.0.. Entretanto, a autonomia é garantida por uma bateria louvável de 5000mAh com carregamento rápido de 18W e carregamento wireless de 15W com carregamento wireless inverso. Não temos carregamento wireless, mas o conjunto das especificações é realmente muito completo, não surpreendendo o preço de referência de $999.

Nos últimos anos, a Motorola não deixou de fora o áudio de qualidade e podemos ainda destacá-lo no Motorola Edge+, que inclui um jack de áudio, mas também altifalantes estéreo calibrados pela Waves.

Motorola Edge

Se o Motorola Edge+ é superlativo, o Motorola Edge é um muito decente companheiro de equipa. A Motorola não sentiu a necessidade de o castrar demasiado para dar destaque ao seu topo de gama, e por isso os dois smartphones são difíceis de distinguir.

Partilham mesmo as dimensões e layout geral, se bem que o Motorola Edge troque o Snapdragon 865 pelo algo menos potente Snapdragon 765, e a câmara principal de 108MP seja trocada por uma de 64MP, todas as restantes se mantendo iguais.

Curiosamente, embora o ecrã pareça extremamente semelhante em perfil e tecnologia, mantendo mesmo os 90Hz, não possui tecnologia HDR10+. A RAM também desce para 6GB na versão global e o armazenamento fica-se pelos 128GB: em troca, o armazenamento é expansível. Último detalhe, a bateria é agora uma unidade de 4500mAh, mas com as especificações mais contidas vem um preço mais simpático de €599.

Portanto, dois smartphones muito interessantes, se bem que algo pode trabalhar contra o Motorola Edge+: pelo menos inicialmente será um exclusivo da Verizon nos EUA, alienando alguns milhares de potenciais utilizadores, num dos seus mais expressivos mercados. Este pode ser um erro fatal para a Motorola nos EUA, com potencial para a prejudicar noutros mercados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here