As mirrorless da Sony têm melhorado a olhos vistos, não somente no hardware, mas também a nível de ergonomia e funcionalidade, para se tornarem verdadeiras concorrentes das consagradas SLR. A Nova Sony a7 III é precisamente exemplo disso: a terceira geração da pioneira a7 chega com um novo sensor, novo joystick e Eye AF.

O novo sensor é uma unidade BSI de 24MP com shutter electrónico e estabilização completa de 5 eixos. Um Front End LSI permite obter leituras mais rápidas do processador, permitindo uma cadência de 10 disparos por segundo, algo distantes das 20fps da a9, mas ainda assim muito cativante. O sistema de foco da Sony a7 III é derivado daquele presente na a9 e consiste em 693 pontos de foco com cobertura de 93% da frame, coadjuvados por 453 pontos de foco por contraste.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Talvez o mais interessante deste sistema de foco seja a tecnologia Eye AF que se encontra já implementada noutras câmaras Sony, e que localiza e segue o olho do modelo, mantendo aí o foco. A ferramenta é particularmente útil em fotografia artística onde a regra é focar nos olhos.

Mas a nova bateria Z significa também que estas novas capacidades podem ser utilizadas durante mais tempo. Com uma capacidade de até 610 disparos, esta bateria praticamente duplica a autonomia da câmara, face à antecessora Sony a7 II. O punho é generoso, tal como na a9 e destaca-se um joystick para o foco, como é comum em câmaras concorrentes, enquanto a que a protecção ambiental está a bordo deste corpo de liga de magnésio.

Finalmente, o ecrã é uma unidade posicionável de 3 polegadas e o visor possui 2.46 milhões de pontos. Tendo em conta os bons resultados obtidos por estes componentes na sua antecessora, a Sony não considerou produtivo evoluí-los. Entretanto, a Sony a7 III tem amplas capacidades de vídeo, incluindo 4K.

Não temos confirmação de preço, mas a Sony a7 III deverá começar a chegar às lojas em Abril.

 

DEIXE UMA RESPOSTA