Se os SSD são admirados pelas suas velocidades de escrita e leitura de dados, os HDD são admirados pela durabilidade, e se os SSD continuam a ficar cada vez melhores, ainda não há um meio caminho que una o melhor de dois mundos. Ou há, porque a Asustor criou agora a SSD Cache.

A funcionalidade implementada em NAS da marca reconhece que há ficheiros que são mais frequentemente acedidos e então é criada esta funcionalidade para que os dados destes ficheiros fiquem armazenados num SSD, garantindo melhores taxas de transferência e velocidade de acesso.

O sistema de caching funciona em leitura/escrita e apenas leitura, especificamente se tivermos dois SSD ou apenas um. Quando existam múltiplos SSD, são igualmente criados diferentes modos em configurações RAID correspondentes. Assim, no modo de apenas leitura, é criado um RAID 0, enquanto no modo de leitura/escrita, dois SSD serão definidos para RAID 1, e para três ou mais unidades SSD será utilizado RAID 5 – o que ajuda a reforçar a proteção contra a perda de dados quando uma unidade falhar.

Na prática, isto significa que RAID 0 combina a capacidade de todas as unidades; RAID 1 utiliza metade da capacidade disponível para armazenamento,  enquanto a outra metade serve como espelho; e RAID 5 utiliza toda a capacidade de todas as unidades exceto uma.

De momento, a ASUSTOR apoia o caching SSD numa variedade de modelos. Por exemplo, as séries AS31, 32, 50, 51, 61, 62, 63, 64, 70 e Nimbustor suportam o caching SSD via unidades SSD SATA. Já os modelos com slots M.2 suportam SSD Cache via dispositivos de armazenamento SSD M.2, para além do caching SSD SATA – estes incluem (mas não estão limitados) às séries NAS Lockerstor e Lockerstor Pro. De salientar ainda que a partição dos SSD para uso como armazenamento e caching não é suportada, e que a SSD Cache só pode ser usada para um volume.


 
Por fim, mas não menos importante, as capacidades variam com o nível RAID utilizado. Na prática, isto significa que RAID 0 combina a capacidade de todas as unidades; RAID 1 utiliza metade da capacidade disponível para armazenamento,  enquanto a outra metade serve como espelho; e RAID 5 utiliza toda a capacidade de todas as unidades exceto uma.
 
Graças ao caching SSD fornecido pela ASUSTOR, é possível obter uma menor latência durante o processo global de acesso dados no NAS – e isto inclui naturalmente também a informação de indexação e os ficheiros de referência do sistema. Isto significa também que haverá vantagens no acesso a conjuntos de dados tipicamente maiores e em escala, em vez de volume de ficheiros individuais.
 
De momento, a ASUSTOR apoia o caching SSD numa variedade de modelos. Por exemplo, as séries AS31, 32, 50, 51, 61, 62, 63, 64, 70 e Nimbustor suportam o caching SSD via unidades SSD SATA. Já os modelos com slots M.2 suportam SSD Cache via dispositivos de armazenamento SSD M.2, para além do caching SSD SATA – estes incluem (mas não estão limitados) às séries NAS Lockerstor e Lockerstor Pro. De salientar ainda que a partição dos SSD para uso como armazenamento e caching não é suportada, e que a SSD Cache só pode ser usada para um volume.
 
Uma vez realizado o simples processo de instalação, o utilizador poderá aceder facilmente aos espaços de armazenamento disponibilizados e alcançar o melhor equilíbrio entre capacidade e desempenho.
 
Para mais informações sobre SSD Cache e como configurar esta funcionalidade para acelerar o dispositivo NAS, visite https://www.asustor.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here