Será o smartphone mais ambicioso da Realme: o Realme X tornou-se oficial hoje e encaixa-se perfeitamente na filosofia de oferecer smartphones budget com hardware extremamente atraente. E atraente é de facto o que o Realme X nos oferece, com uma uma câmara de 48MP, ecrã AMOLED, e câmara pop-up.

Nesta luta por chegarem aos ecrãs com o mínimo de rebordos possíveis, as marcas têm experimentado com câmaras frontais do estilo pop-up que poderão até deixar dúvidas quanto a durabilidade, mas são certamente louváveis por serem soberbamente discretas. Graças a isto, o Realme X dá-nos um ecrã de 6.5 polegadas FHD+ sem qualquer interrupção. Como este ecrã é AMOLED, a Realme incorporou um leitor biométrico óptico de nova geração que é mais amplo e utiliza um novo processador de sinal para melhorar a típica lentidão destes sensores na leitura de impressões digitais.

O processamento fica a cargo de um mundo digno Snapdragon 710 com um máximo de 8GB e 64 ou 128GB de armazenamento interno, o que não é mau de todo. Já do lado das câmaras, temos a agora “típica” câmara de 48MP f/1.7 apoiada por uma câmara de 5MP para medição de profundidade, enquanto a câmara selfie pop-up é de 16MP. Como já devemos saber por esta altura, a câmara de 48MP está lá fundamentalmente para emparelhar 4 pixéis de cada vez para obter imagens de 12MP com melhor informação de luminância e com maior qualidade em condições de baixa luminosidade.

Temos ainda uma bateria de 3765mAh com carregamento rápido VOOC 3.0, que nos dará 55% da carga em somente 30 minutos.

Tudo isto parece típico de um smartphone na casa dos €300, mas o Realme X terá na Europa um preço que rondará os €150. Claro que existem compromissos a fazer, e numa abordagem tipicamente Chinesa, não há NFC a bordo. Claro que, com Bluetooth 5.0, porta USB-C e excelente hardware geral, poderemos perdoar-lhe esta omissão.

De destacar que, além das cores azul e branco, o Realme terá uma versão desenhada por Naoto Fukasawa que replica o look da pele do alho e da cebola. Estranho? Sim. Mas cool.

Onde entra o OnePlus 7 Pro?

A genética do Realme X é semelhante à do OnePlus 7 Pro, ou não pertencessem ao mesmo conglomerado de marcas. À partida parecem smartphones muito diferentes, e até o serão, considerando que o Realme custa cerca de 1/4 do OnePlus, mas a abordagem está lá, oferecendo tendências tecnológicas recentes, como leitor biométrico no ecrã, um ecrã desimpedido, a mesma câmara e excelente relação qualidade/preço.

O Realme X faz bem aquilo que a OnePLus fazia há alguns anos: oferecer o fundamental de um flagship a um preço substancialmente mais acessível.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here