Entre os €300 e os €400: este é geralmente o ponto certo para um smartphone que reúne hardware completo e bom preço, todavia sem luxos. É um segmento onde as marcas se encontram cada vez mais ativas, mas onde é por vezes difícil encontrar apostas realmente brilhantes. Foi neste segmento que a TCL se lançou pela primeira vez no mundo Ocidental em mote próprio, depois de anos a fabricar Alcatel, BlackBerry ou Palm, adquirindo assim uma experiência enorme no fabrico de smartphones. Todavia, para a sua estreia, a TCL apostou forte em algo que conhece bem para caminhar para a excelência: os ecrãs.

O ecrã do TCL Plex está cheio de novidades e quer ser o melhor do seu segmento, mas os argumentos deste Plex não se acabam por aqui.

Design diferenciador

Se bem que a TCL seja bem conhecida nas televisões, por si só não será o seu bom nome a aumentar as vendas do Plex. O seu design, esse, é bem capaz de conquistar os favores dos utilizadores.

A qualidade de construção do TCL Plex é apreciável a partir do momento em que abrimos a caixa. Trata-se de um dispositivo volumoso, fabricado com uma moldura de alumínio e painel traseiro em vidro que arredonda nas laterais e extremidades, para uma sensação muito confortável na mão. Os remates são excelentes, do melhor nível que encontrarão em smartphones de €1000, com bons acabamentos e subtis efeitos.

Por exemplo, o painel traseiro é disponibilizado em branco ou obsidiana, um negro aparente, que se perde em reflexos multicolores sob a superfície, inspirando-lhe vida conforme a incidência da luz. Uma lista mais escura, a 3/4 da altura, reúne as três câmaras do Plex, dispostas na horizontal numa era de módulos verticais. É dos acabamentos mais atraentes deste ano tão repetitivo, e parece certamente premium.

Um ecrã muito especial

O ecrã do TCL Plex é mesmo o seu principal argumento, não obstante as restantes características interessantes do dispositivo, e francamente impressiona mais do que muitos ecrãs de gama alta. O seu segredo está num processador de imagem dedicado, que promete aumentar a gama dinâmica dos conteúdos vídeo e de imagem, e fazer o upscalling para HDR do conteúdo SDR. Será que cumpre?

A resposta é definitivamente “sim”. O ecrã de 6.53 polegadas do Plex ajusta-se rapidamente às diversas condições de luminosidade ambiente que encontra, ficando algo mais amarelado quando as luzes diminuem e aquecem, ou ficando mais azulado sob a luz do sol para manter o ecrã bem legível, sem sobrecarregar os olhos. Levemos em consideração que o upscalling de SDR para HDR não faz milagres se os conteúdos originais forem de baixa resolução, por isso o Plex merece conteúdos com boa resolução para poder trabalhar sobre eles. Também aqui as diferenças existem quando a NXTVision é ativada, puxando mais detalhes nas sombras e dando novas texturas aos pontos que pareciam meras porções negras sem detalhe, aumentando igualmente a luminosidade nos pontos claros. A verdade é que se nota, dando um maior contraste a cenas e incrementando o seu dramatismo.

Hardware polivalente e boa performance

Se pensarmos na lista das grandes comodidades que esperamos num smartphone moderno, o TCL Plex certamente cumpre as expectativas, e certamente fá-lo dentro da gama de preço em que se integra.

Temos a bordo um moderno Snapdragon 665, octa-core lançado em Setembro, e que possui quatro núcleos a 2.0Ghz para tarefas de performance elevada, e outros quatro a 1.8GHz para eficiência energética. Do ponto de vista das memórias, o TCL Plex é bem generoso, oferecendo 6GB de RAM e 128GB de armazenamento interno em memórias UFS 2.1., além de expansão por microSD.

O terminal é igualmente dotado no campo da fotografia, com uma câmara de 48MP, acompanhada de uma ultragrande angular de 16MP e, finalmente, uma câmara de 2MP para dados de profundidade. À frente, o ecrã de 6.53 polegadas FHD+ apresenta um rácio ecrã/corpo muito aceitável de 84,2%, com uma câmara de 24MP colocada no canto superior esquerdo.

Uma bateria de 3820mAh é certamente interessante, incluindo carregamento rápido de 18W que permite carregar cerca de 50% em 30 minutos. De resto, o TCL Plex não deixou de fora o jack de áudio, nem a tecnologia NFC, e inclui igualmente rádio.

Até agora é de notar que a bateria se comporta acima do esperado, permitindo sessões de jogos com gráficos no máximo até doerem os dedos e, acima de todo, chega-se ao final do dia com uns 50% após utilização moderada, o que é estupendo.

Câmaras muito capazes nas condições certas

O TCL Plex tem excelentes câmaras no papel com a opção por uma câmara de 48MP a ter grande promessa. Tirar o máximo de proveito desta câmara tem ainda assim um truque, já que por defeito o Plex recorre aos 12MP com pixel binning que é a principal vocação do sensor. Precisamos, portanto, de escolher a opção “mais”, onde surge então a opção “Pixeis Elevados”, única hipótese para obtermos imagens de alta resolução. Fazê-lo implica, no entanto, perder acesso a definições como HDR ou controlos manuais da câmara, sendo expectável que as limitações se devam a um desejo de manter a experiência fotográfica no mais fluído possível: mesmo processadores mais potentes têm dificuldades em processar 48MP de uma vez.

Sendo extremamente honesto neste ponto, com boas condições de luminosidade, o TCL Plex é um smartphone impressionante do ponto de vista fotográfico. Os detalhes estão lá e a cor do por-do-sol inunda bem as imagens sem se sobrepor aos tons restantes, com o HDR a trabalhar muito bem, sem exibir as auras que muitas marcas não conseguem eliminar.

Quando as condições de luminosidade pioram ou o equilíbrio dos brancos foge demasiado ao ideal, torna-se mais difícil focar e obter o resultado que desejamos. A TCL tem um trabalho de melhoria a efetuar nestes pontos nestes pontos, mas, no geral, o TCL Plex é um smartphone muito bem conseguido para aqueles para quem a fotografia é tudo, rivalizando bem com smartphones mais caros neste campo. Sendo eu um desses que não compra um smartphone sem gostar da qualidade fotográfica, sim, neste ponto estaria aprovado, a não ser que quisesse gastar de €600 para cima.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Conclusão

A TCL não é nenhuma estreante no fabrico de smartphones, e mostra-o bem na sua estreia em mote próprio. O TCL Plex começa a encantar desde logo no design sem seguidismo com acabamentos irrepreensíveis, e conquista definitivamente com um ecrã ao nível dos melhores, com truques muito interessantes na manga. A tecnologia NXTVision tem efeitos que saltam à vista em jogos e streaming, o que é raro neste segmento.

Pelo meio, o TCL Plex possui um grupo muito bem conseguido se especificações, aliando um processador moderno a memória generosa, boas câmaras e excelente autonomia. Talvez mais importante, onde muitos oferecem excelentes especificações no papel, o TCL Plex ainda oferece excitação! Não é possível pedir mais num smartphone que custa apenas €349.

Fiquem connosco para a review completa!