Nem todas as ideias precisam ser complexas ou chegarem de terras distantes. Por vezes os problemas têm soluções simples e eficazes, mas também acessíveis a todos. É assim o caso do InfiniteBook, uma interessante invenção de um empreendedor do norte de Portugal, pensada para criativos que não querem acumular papel ou aumentar a sua pegada ecológica. Trata-se de um livro infinito, que podemos escrever e reescrever tantas vezes quanto necessitarmos, e ao qual se junta a app InfiniteBook, onde podemos armazenar todos os pensamentos.

O meu problema

O papel é uma faceta incontornável da minha vida profissional, mesmo que trabalhe num serviço paperless. Primeiro existem as reuniões, onde o meu portátil está presente, mas por vezes simplesmente não é prático levá-lo comigo, porque não posso ser distraído por emails e alarmísticas.

Depois, uma boa parte do meu trabalho implica anotar questões, temas e números, existindo sempre um acumular de folhas e rabiscos. Finalmente, parte das minhas funções implica identificar melhorias em fluxos de trabalho, procedimentos, ou temas para formação. Isto significa anotar novas ideias, esquematizar projetos, para o que um caderno é fundamental.

Irrevogavelmente, o meu espaço de trabalho acumula papéis, dificultando a arrumação e a organização de ideias, contribuindo além do mais para uma certa falta de estética que não me agrada particularmente.

A solução InfiniteBook

Quando me deram a oportunidade de conhecer o InfiniteBook, aceitei-a de imediato, sentindo por então que era a solução para os meus problemas. A ideia surgiu em 2014 da mente de Pedro Lopes, então com 17 anos, à procura de uma alternativa para os tradicionais cadernos, canetas e lápis. Sem financiamento, o jovem empreendedor virou-se para o crowdfunding, conseguindo criar assim uma empresa sólida e trazer a sua ideia para o mercado.

O InfiniteBook consiste num caderno muito especial, feito com folhas impermeabilizadas, nas quais escrevermos com uma caneta especial à prova de água. A tinta sai facilmente, permitindo reutilizar o caderno sempre que quisermos.

Para isso, a InfiniteBook tem um starter kit que inclui um kit completo de limpeza, consistindo numa pequena garrafa que se enche com água, uma esponja, um pano e mesmo uma lixa de grão fino. A ideia aqui é pulverizar água sobre as folhas que queremos limpar, para logo de seguida usarmos a esponja, removendo a tinta, podendo depois limpar a humidade com o pano fornecido, ou um papel qualquer. A lixa será útil para polir as folhas mais marcadas. O InfiniteBook está ainda disponível para todas as necessidades, com folhas em branco, pontilhadas ou pautadas, com edições especiais para treinadores de futebol, e em tamanhos diversos.

O InfiniteBook revela-se muito rapidamente uma ferramenta inspiradora para profissionais. Afinal, as anotações podem ser feitas de forma algo desconsiderada, porque graças à escova na caneta será fácil apagá-las e reorganizá-las logo que necessário, enquanto os enganos podem ser corrigidos sem ficarmos com uma folha suja de rabiscos.

Aqueles recados que necessitamos anotar apenas por momentos, ou aqueles afazeres que se tenham entretanto concluído, podem ser apagados em segundos, deixando a folha livre para mais. Como digo, a criação de um método de utilização é o melhor: podemos reservar páginas para anotações avulsas, outras para atas de reuniões a apagar mal sejam convertidas para editor de texto, outras páginas para esquemas e esboços. de forma a nunca nos desorganizarmos, nem perdermos o rasto às ideias.

Se, por alguma razão, chegarmos ao final do caderno, em cinco minutos podemos limpá-lo por completo, ficando este como novo.

A Reinvenção da InfiniteBook Cloud

A InfiniteBook Cloud era algo que, segundo sabemos, estava presente na mente dos criadores da iniciativa desde o seu início, mas chega agora em parceria com a Chilltine. Com a InfiniteBook Cloud podemos guardar até 50 imagens organizadas por projetos, comentar e partilhar esses projetos com uma pessoa, enquanto uma versão Premium que custa modestos €1.99 por mês permite armazenar até 250 imagens e partilhar os projetos com cinco pessoas. Podem encontrar a app na Play Store, na App Store e na web.

A Cloud é o complemento ideal a um InfiniteBook, permitindo que este nunca se esgote, sem no entanto perdermos os projetos mais úteis. O preço parece bastante justo para a possibilidade de partilharmos estes preciosos apontamentos, sem necessidade de emprestarmos todo o caderno.

 

Ideia fascinante para criativos

O InfiniteBook é uma ideia fascinante, a que passei a recorrer quotidianamente no âmbito do meu trabalho, abdicando quase por completo de cadernos tradicionais. Tem alguns pontos a melhorar, ainda assim.

Por exemplo, a superfície altamente brilhante é complicada para ambientes de escritório, refletindo demasiado e prejudicando, quer a leitura, quer a digitalização para a cloud. Uma versão fosca seria ideal para escritórios, aumentando muito o seu potencial.

Outro ponto a melhorar é a facilidade com que a tinta seca na caneta. Será talvez mais difícil, considerando o compromisso que deve ser feito entre manter a tinta húmida na caneta e secá-la no papel.

Do lado da app, o reconhecimento das folhas pode ser melhorado, com a fotografia a demorar algum tempo e a edição a ser lenta. No futuro seria muito interessante dispor de ICR para que os nossos apontamentos pudessem ser disponibilizados em editores de textos tradicionais, como o Microsoft Word.

Mas, no final do dia, o InfiniteBook é uma excelente ideia que foi ainda melhor colocada em prática. Se os esboços e a anotação de ideias são uma parte fundamental do vosso trabalho e processo criativo, o InfiniteBook é uma ferramenta poderosa e ao mesmo tempo inspiradora, pela facilidade com que nos permite esquematizar, pensar, repensar e começar tudo de novo sem acumular papéis e rabiscos. Não só verão que o InfiniteBook é fácil de utilizar, como quererão utilizá-lo para tudo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here