A Samsung está a mobilizar todos os seus recursos em nome de um calendário de lançamentos que é dos mais intensos do mercado. Hoje em dia, a marca apresenta ciclos de atualização a cada seis meses e é assim que se em Fevereiro vimos o lançamento do Samsung Galaxy A30, em Agosto vimos uma segunda iteração, na forma do Galaxy A30s, que mantém o fundamental do seu antecessor. A Samsung faz aqui um bom trabalho de reutilização de uma plataforma para oferecer aos utilizadores um produto atualizado para as principais tendências do mercado, acrescentando melhores câmaras e um leitor biométrico no ecrã.

Design cool

Os acabamentos do Samsung Galaxy A30s são impecáveis, mas não se deixem enganar: excluindo o ecrã que é em vidro, o exterior restante é de plástico. O A30s parece bastante sólido, não obstante a possibilidade de deformar um pouco o painel traseiro ao pressionarmos com os dedos. Mas ninguém vai estar a prestar atenção a isso.

O painel em si mesmo é acabado com um efeito prismático e cada prisma reflecte a cor com um efeito diferente, constituindo um interessante apontamento estético sem se tornar excessivo. Acima de tudo, talvez, os contornos arredondados e a construção em plástico significam que este terminal é ao mesmo tempo leve e ergonómico.

Hardware sólido

O Samsung Galaxy A30s é, no papel, um sólido dispositivo ao qual não faltam muitas características para mais do que justificar o preço. Muito rapidamente, no entanto, o ecrã não é das suas melhores apostas.

Uma unidade Super AMOLED, o ecrã chega com menos resolução que o do A30. Isto é, 720p de largo, e quem tem boa visão vai notá-lo: os AMOLED são algo mais “porosos” e os pixéis individuais mais fáceis de distinguir, dando às imagens algo mais de serrilhado e a sensação de que a resolução é inferior ao que é. Em sua defesa, o ecrã tem a vantagem dos negros absolutos, exibindo excelente contraste e cores vibrantes.

No interior, o A30s mantém o processador do A30, pelo que não será aqui que terão uma razão para atualizar. Mas se procuram um smartphone nesta gama, o Exynos 7904 é um chip hexa-core interessante com 2 núcleos Cortex A73 e seis A53 que, para já, oferece uma performance folgada em situações quotidianas, desde que não esperemos dele a mesma performance de um Snapdragon 730 ou superior. Eu diria que está mais perto dum Snapdragon 636, o que não está mau para utilizadores medianos, e igualmente para utilizadores intensivos que queiram passar grande tempo nas redes sociais ou a navegar na Internet. A autonomia, para já, é impecável. Afinal, temos 4000mAh, uma excelente bateria para as especificações a bordo.

Onde está então a grande atualização? Nas câmaras, claro, com o Galaxy A30s a mobilizar uma razoável câmara de 25MP f/1.7 acompanhada de uma ultragrande angular de 8MP, e de uma câmara de 5MP para dados de profundidade. Encontraremos ainda uma câmara selfie de 16MP. Esta combinação apresenta tantas vantagens sobre a única câmara de 16MP do A30 que eu diria que se a fotografia é importante para vós, vão já para o A30s e esqueçam o A30, mas a qualidade final da imagem é algo que temos de aferir.

Para já, a usual qualidade dos Samsung é clara, com cores fortes e boa performance em HDR. As câmaras dos Samsung são por regra pouco exigentes em termos do esforço para obter uma fotografia de qualidade, e o Galaxy A30s não será exceção.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Expectativas

Querem um smartphone razoável, que não corte em especificações e mantenha uma autonomia capaz de saciar os nossos vícios do pequeno ecrã?

Combinando um processador sólido com uma bateria de grande capacidade, o Samsung Galaxy A30s não deixou de fora funcionalidades importantes: temos NFC para pagamentos contactless, Bluetooth 5.0, rádio FM, porta USB-C com USB On-The-Go, e jack de 3.5mm. Se o vosso orçamento traça uma linha nos €300, o Galaxy A30s prova certamente no dia de hoje que é possível ter um Samsung com um preço competitivo e especificações justas.