Um tablet Windows é um dispositivo com pernas longas para nos acompanhar em qualquer viagem e nos manter produtivos nos sítios mais extraordinários. Sob uma árvore a aproveitar a doce brisa deste Verão nascente, dedilhando algo por entre o chilrear dos passarinhos. O Lenovo IdeaPad Duet 3 é um excelente exemplo de um tablet Windows capaz de interligar o nosso ecossistema de trabalho e lazer, enquanto nos acompanha em qualquer viagem rápida, se forem como eu: gostam de ter um portátil por perto para qualquer ideia, mas preferem não forçar as costas.

Principalmente se tiverem um regime de trabalho misto, com a necessidade de colocarem na mochila um computador de trabalho e acessórios. A Lenovo comercializa o seu IdeaTab Duet 3 com uma stylus ativa e o seu próprio teclado. Não há custos escondidos, o que é decididamente um must. Mas, que outros argumentos tem o IdeaPad Duet 3?

Lenovo IdeaPad Duet 3: principais características

O Lenovo IdeaPad Duet 3 é um tablet Windows com um ecrã FHD de 1920 x 1200 com rácio 16:10 que maximiza a produtividade. Em linha com a sua segmentação, está disponível com um Intel Pentium N5030 ou um mais fraco Intel Celeron N4020, com 4 ou 8GB de RAM e 64GB ou 128GB de armazenamento eMMC.

O Lenovo tem uma câmara frontal de 2MP e uma traseira de 5MP, e mobiliza uma bateria de 30Wh.

Existe ainda opção por conectividade 4G LTE.

Design Sólido

A espessura não engana: este não é um tablet Android. O Lenovo IdeaPad Duet 3 é um tablet razoavelmente espesso e pesado, com 866g de peso, com o teclado incluído.

O Duet 3 tem linhas muito limpas e sólidas. Quer dizer, não me apercebi totalmente que o corpo fosse em plástico, porque tem uma rigidez muito agradável. Mas de plástico é, com a face traseira a incluir o suporte posicionável e esse sim é de metal.

Este suporte abre-se com a ajuda de uma reentrância na lateral do tablet e pode ser ajustado para o ecrã permanecer em diversos ângulos, conforme o que nos for mais confortável e parece suficientemente sólido para nos transmitir segurança.

A lateral esquerda é definitivamente a mais ocupada, com duas portas USB-C lado a lado e estas duas entradas são uma ideia particularmente excelente. Poderíamos ter apenas uma, claro, mas temos duas e qualquer uma delas permite carregar o Duet 3, libertando a outra para transferência de dados, um monitor externo ou carregamento de periféricos.

Portanto, epa, é preciso ir ao escritório fazer algum relatório, tratar de algumas questões e não precisam do portátil pesadão. O IdeaPad Duet 3 cabe numa simples sacola à tiracolo, das pequenas onde andamos com chaves e smartphone. Foi onde o transportei mais.

Então, chegam ao trabalho e zás: colocam o stand, ligam um cabo ao monitor do trabalho e tratam do que têm a tratar. Voltam para casa sem pesos. É estupendo!

O lado esquerdo tem ainda um leitor de cartões microSD, jack de áudio e o altifalante esquerdo. Já o direito está… preciso mesmo dizer? Juntamente com a tecla power e a tecla de volume.

A base tem apenas de destaque os pinos com que o tablet se anexa ao tablet.

OK: geralmente falo do ecrã, da experiência, etc.. Mas desta vez vou passar diretamente ao teclado, porque este é um dos grandes trunfos do Duet 3. Se não o maior, e aquele detalhe que mais me agradou pela surpresa positiva. Tem até as teclas Ctrl e Fn nas posições esperadas – imagine-se.

E é um trunfo porque já vem com o tablet, o que é fenomenal, já que este tipo de acessórios custa perto de €100 no mínimo.

Um teclado realmente bom

Então temos um teclado incluído. “So What”? Vale alguma coisa? Compensa em vez de um comprado em separado?

Podem apostar que sim. O Lenovo IdeaPad Duet 3 tem sensivelmente tem um ecrã de 10.3″ com rebordos algo espessos – facilitando que o seguremos nas mãos – , dando-lhe uma diagonal perto das 12″, o que se traduz numa largura de 25cm. No final destas contas, a largura do teclado não é significativamente menor do que a que encontramos um portátil típico de 12 ou 13 polegadas, já que a Lenovo certificou-se que aproveitava o máximo de área disponível para as teclas.

O teclado inclui ainda um trackpad relativamente amplo e que funciona de forma muito satisfatória. Não temos o joystick dos Thinkpad, nem teclas iluminadas, mas realmente poderíamos exigi-las neste preço?

Portanto, o teclado não é tão suave ou silencioso quanto o do X1 Nano, por exemplo, mas as teclas têm boa distância de atuação e dá para teclarmos com alguma rapidez. Há aqui uma curva de aprendizagem, claro, pelas dimensões ainda assim compactas do teclado, e dei por mim a dar bastantes toques em falso, mas é possível escrever rapidamente e acabamos por nos habituarmos.

Claro que, dada a opção, preferimos um teclado de tamanho normal para maior conforto e celeridade de escrita sem fadiga, mas no que a teclados de tablet diz respeito, o que é incluído no Duet facilmente valeria os €100 extras que por vezes somos forçados a pagar.

O teclado conecta-se ao tablet via conexão magnética que é bastante forte e sólida, mas o seu maior truque é a inclusão de uma bateria e conectividade bluetooth. Esta combinação muito pouco usual nestes dispositivos é fabulosamente útil, porque permite colocar o ecrã onde desejarmos e teclar com o teclado numa posição mais confortável. Pensem na casa da vossa sogra sentados num sofá enquanto o ecrã está numa mesinha de apoio e o teclado no colo. O mesmo numa viagem de autocarro ou comboio. É algo que simplesmente funciona e permite transformar qualquer local numa secretária de trabalho.

Removamos o teclado e pensemos no ecrã

Temos nas mãos um tablet Windows com um ecrã de 10.3″ com resolução FHD 1920 x 1200 e formato 16:10, um formato que mostra a sua vocação produtiva, mais do que para multimédia e que, claro, ajuda termos uma base de teclado maior.

Gostei bastante do ecrã. A legibilidade é muito boa no exterior, exceto se estivermos a apanhar diretamente com a luz do sol, o que é fundamental para um equipamento que podemos usar enquanto lanchamos no jardim.

Cores boas, contrastes igualmente interessantes, são suficientes para termos boas leituras e grafismos. Não há aqui razões de queixa. O ecrã em si é responsivo e responde bem à stylus que vem na caixa, pelo que se quiserem aproveitar a hora de almoço para ler um pouco, ficarem a par das notícias, estarão bem servidos.

O que é um ecrã sem um bom par de colunas estéreo, certo? O IdeaPad Duet 3 tem definitivamente um par de colunas, que pecam por não serem particularmente altas.

Performance e experiência de utilização

Para nos manter a bulir, o IdeaPad Duet 3 que recebemos para análise conta com um Intel Pentium N5030 Silver quad-core com 8GB de RAM e 128GB de armazenamento interno. É precisamente a opção de topo, com a possibilidade de um Celeron N4020 dual-core.

Mas, sinceramente? Se puderem pagar a diferença, optem pelo Pentium. Estes processadores não são particularmente potentes, claro. O seu foco é no custo-benefício e na portabilidade, não necessitando de qualquer refrigeração ativa, o que permite dispositivos mais compactos. Portanto, certamente que o Celeron cumprirá as expetativas, mas o Pentium oferece uma performance superior que é suficiente para uma utilização leve sem frustrações, certamente menos limitada.

Não terão qualquer problema com o Office, incluindo Powerpoint ou Word, mesmo Excel, mas as folhas de cálculo carregadas de fórmulas não serão aqui bem-vindas. Nem muitas tabs abertas no Edge, embora no geral a performance seja irrepreensível para o tipo de utilização que fiz do Duet: escrever, compor, navegar.

Também aproveitei a facilidade da combinação teclado-ecrã para usar o Duet nas sessões de Zoom e Teams, e aqui as lacunas do Pentium começam a notar-se. Por vezes o Teams arrancou, por vezes pareceu hesitar e, durante a sessão ainda houve um ou outro crash e bloqueios que – para variar – não estavam dependentes da rede. Não pensem em jogos muito elaborados, claro. Eu não pensei. Este tablet é demasiado útil para isso, para aqueles momentos em que temos algo a escrever e não podemos esperar até chegar a casa.

Mas, estes pequenos soluços de performance convencem-me ainda mais que devem apostar na versão com Pentium. O Celeron não irá tão longe, se a vossa utilização for algo intensiva.

Falando em Zoom, a câmara frontal tem apenas 2MP, um valor que me parece demasiado baixo, mas em linha com muitos computadores, na verdade. A imagem não é totalmente boa, mas é utilizável. Entretanto, o áudio que sai das colunas mantém-se também na toada razoável, sem ser excecional

Do lado do software, o Duet 3 vem com o Windows 10 em S Mode, o que limita as instalações de apps às disponíveis na Store, o que é sempre um encorajamento à segurança pelo público jovem, potencialmente estudante, que utilizará este tablet. Ou para nós, mais adultos, que queremos a paz de espírito de saber que só podemos instalar coisas seguras.

Mas eu sou maluco. Claro que tirei o S Mode, porque felizmente é fácil fazê-lo, através de um comutador que se instala também a partir da Store.

Autonomia

O Lenovo Ideapad Duet 3 chega-nos com uma bateria de 30Wh que vai tirar todo o partido possível do baixo consumo do Pentium Silver a bordo.

Como outros dispositivos Lenovo, é possível programar um modo de proteção da bateria que carregará a bateria até aos 60% quando ligada à corrente, mantendo uma longevidade maior do hardware.

Em que é que se traduz isto? A bateria parece-me boa para pelo menos sete horas de trabalho intenso, ou seja teclar, navegar, editar documentos com o ecrã com brilho elevado, o que seria por si só excelente para um tablet Windows. Na prática, utilizo sempre um brilho moderado ou baixo dentro de casa e, incluindo com o teclado ligado, com perfil de poupança de bateria, não me parece que as 9 horas máximas prometidas pela Lenovo estejam longe da realidade.

A maior parte de nós pensará no Duet como um portátil alternativo para complementar o computador principal, e assim foi comigo. Escrever artigos ao almoço ou pela manhã, sentar-me confortavelmente a ler alguns livros e revistas e rever as notícias. Utilizei o Lenovo ligado pelo menos duas a três horas por dia em média, e dei por mim a carregá-lo apenas ao terceiro dia.

Falando nisso, a Lenovo inclui um carregador de 45W, que não é extremamente lento, já que carrega a totalidade da bateria em menos de 3 horas. A vantagem de termos uma porta USB-C para carregamento é, claro, que podemos usar um qualquer carregador de smartphone ou mesmo a porta USB de um monitor externo para carregar a bateria enquanto trabalhamos.

Conclusão

Procuram um tablet Windows com potencial para homogeneizar o vosso workflow e vos permitir manterem-se produtivos em qualquer local? Se vão trabalhar fundamentalmente com o Office, folhas Excel leves, elaborar relatórios, analisar documentos, trocar emails, o Lenovo IdeaPad Duet 3 representa um excelente negócio com um custo-benefício impecável, ao incluir um teclado muito capaz, ainda assim sem cobrar mais por isso que a sua concorrência direta.

O Lenovo IdeaPad Duet 3 é globalmente um tablet Windows incrivelmente completo que só não se destaca pela sua capacidade de processamento. Quem tiver necessidades mais pesadas, seja de edição de vídeo e imagem, ou folhas de cálculo já de alguma dimensão, tem de procurar noutro lado.

Mas, para quem quer poder trabalhar e relaxar em qualquer lado, a funcionalidade do teclado é surpreendentemente boa, com a inclusão muito inteligente de conectividade Bluetooth a permitir uma maior polivalência no momento de transformar qualquer local num ponto de trabalho, e a autonomia que chega facilmente (e passará) as 8 horas é um ponto extra para vermos o Lenovo IdeaPad Duet 3 como uma excelente opção de portabilidade para profissionais e criativos à procura de custo-benefício.

REVIEW GERAL
Design & Construção
8.3
Hardware
8
Performance
7
Bateria
8.5
Experiência de utilização
8.7
Relação qualidade-preço
8.5
Fotografia, tecnologia, ciência: investigar escrever é uma paixão. Nas horas vagas, a caminho do trabalho ou de casa, cada minuto conta para descobrir e divulgar algo novo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here