Não podemos exigir muito num smartphone de €100, mas a Wiko certamente tentou exceder as nossas expectativas. A marca Francesa tem uma experiência enorme na concepção de smartphones baratos, e o Wiko Y70 mostra-o bem. O terminal chega com um razoável processador Unisoc, ecrã de qualidade, excelente design e o mais recente sistema operativo Android Pie (Go Edition). Num segmento de preço sem muitas novidades, o Wiko tem até um grande truque na manga que smartphones mais caros não possuem: altifalantes frontais estéreo!

 

As características essenciais

O Wiko é uma das mais recentes apostas de uma marca que sabia oferecer barato e bom antes das marcas Chinesas parecerem ter inventado o conceito. Como vem sendo quase regra na Wiko, a relação qualidade-preço começa na caixa, que inclui uma capa protectora, um cabo e um carregador, e ainda auscultadores com muito bom aspecto. Não os experimentei ainda, confesso, mas são do tipo com borrachas ajustáveis que prefiro e dão um toque extra de qualidade.

 

O Wiko possui ainda um ecrã de 5.99 polegadas com resolução HD+, uma característica que merece pontos extra neste segmento de preço, um processador quad-core Unisoc S7731E a 1.3GHz, com 1GB de RAM e 16GB de armazenamento interno expansível.

O departamento das câmaras é servido por uma câmara selfie de 5MP e uma principal de 8MP, enquanto a bateria é particularmente generosa (e amovível) de 3730mAh.

Trata-se de um equipamento Android Go desenhado para ser económico e, por isso, não temos leitor biométrico, nem NFC.

 

Design e construção

Um smartphone com bateria amovível em 2019? Impossível? É precisamente o que a Wiko nos oferece no seu Y70: o painel traseiro é amovível, para revelar uma generosa bateria de 3730mAh que se pode trocar em segundos por uma carregada. Levantar o painel revela ainda os dois cartões SIM e a ranhura para o cartão microSD.

Por fora, o Wiko Y70 apresenta um design contemporâneo que quer oferecer estética refinada ao utilizador, não obstante o preço verdadeiramente baixo deste equipamento. A construção é inteiramente em plástico, com o painel traseiro destacável com um acabamento em degradê do azul para o negro, uma opção muito procurada pelos utilizadores e que garante uma superfície pelo menos mais excitante. Como o Y70 não possuo leitor biométrico, a câmara traseira e o seu flash são os únicos elementos que quebram o minimalismo do painel, encontrando-se organizados num módulo em formato de pílula encostado de forma clássica à esquerda superior.

O ecrã de 5.99 polegadas é notável por apostar em resolução HD+. Ninguém levaria a Wiko a mal se utilizassem um ecrã de menor resolução, por isso um ecrã HD neste segmento é de apreciar. O painel parece de boa qualidade, e tem um formato clássico 18:9 sem notch.

É no ecrã que vemos a grande aposta da Wiko para se diferenciar: dois altifalantes frontais estéreo. A maioria dos smartphones possui apenas uma saída áudio, quanto mais neste preço, e a sua presença fará grande diferença no usufruto do multimédia.

 

Funcionalidades e performance

O Wiko Y70 é um terminal pensado para quem quer gastar o mínimo indispensável num smartphone. As suas especificações são algo modestas portanto, com um Quad-Core Unisoc SC7731E, 1GB de RAM e 16Gb de armazenamento interno expansível.

Com este hardware, alguma parcimónia é expectável e o Wiko não é um terminal para quem leva a vida com pressa. A memória é pouca para manter mais do umas poucas apps abertas e o arranque destas leva o seu tempo. Mas a experiência de utilização é muito correta de outro modo, graças à utilização do Android 9.0 Pie (Go Edition).

A utilização desta versão mais leve do Android foi uma decisão muito sábia por parte da Wiko. A interface é limpa, sem qualquer skin ou detalhe que atrase a resposta do sistema, favorecendo a utilização optimizada do hardware contido que a Wiko nos apresenta. A ausência de apps duplicadas certamente ajuda a poupar no espaço limitado que possuímos, e quereremos mesmo utilizar um cartão de memória para mais margem de manobra. De resto, os principais serviços da Google estão a bordo para quem necessitar de os utilizar e o foco do Android Go em processamento na nuvem certamente ajuda a manter um bom nível de usabilidade do Y70.

Até agora, a minha parte favorita é mesmo o binómio ecrã/altifalantes. Com um ecrã destas dimensões, o Wiko é mesmo interessante para quem gosta de vídeo e séries. Aí, os altifalantes frontais destacam-se e separam o Wiko da concorrência directa. Uma passagem por “Welcome to the Jungle”, dos Guns N’ Roses mostra bem o que este terminal é capaz de fazer: os altifalantes têm desde logo a vantagem de não se abafarem com os dedos quando seguramos o terminal na horizontal, e oferecem também um som no global melhor que qualquer opção com apenas uma saída. O facto do som ser direccionado para a nossa face certamente lhe dá mais estrutura e nitidez, útil para música ou para as nossas séries favoritas.

 

Veredito inicial

O Wiko Y70 pode ser neste momento encontrado por preços que rondam os €90, inclusivamente menos. É um preço extremamente atraente para quem procura um smartphone essencial, ou não vê justificação em gastar €200 ou €300 – quiçá mais – num dispositivo para fazer chamadas. Ainda assim, o Y70 aposta forte na estética, com o seu acabamento em gradiente e um generoso ecrã HD que se verificará importante para os adeptos do multimédia.

Aqui, o Wiko saca o seu grande trunfo na forma de dois altifalantes estéreo frontais que melhoram significativamente a qualidade do som para quem quer relaxar com um jogo ou uma série. A combinação entre o grande ecrã e a qualidade de som fazem do Wiko Y70 claramente uma aposta a considerar pelos amantes de multimédia com orçamento apertado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here