Tem sido uma luta intensa por parte da Intel para conseguir acompanhar a miniaturização dos seus processadores, mas após diversos atrasos e revezes, a gigante apresentou finalmente os seus SoC Ice Lake pensados para sistemas AIO e portáteis, com destaque para o seu fabrico em litografia de 10nm, que atingiu finalmente produção de volume e estará disponível até ao final de 2019, com a Dell a partilhar mesmo o palco para demonstrar o primeiro equipamento com um chip Ice Lake.

Os novos processadores são baseados na microarquitectura Sunny Cove e não representarão apenas uma grande evolução sobre os actuais processadores disponíveis no mercado, mas serão também os primeiros Intel com integração de Thunderbolt 3, Wi-Fi 6 e gráficas Gen11 com capacidade para ecrãs 4K.

Os chips de base terão quatro núcleos com 8 threads e terão uma TDP de 15W para apostarem no tipo de autonomia que lhes permitirá concorrer com as mais recentes criações em arquitectura ARM. Estes chips serão idealmente combinados com ecrãs de 1W, e como o chip é mais pequeno que os seus antecessores, sobra espaço para baterias maiores dentro dos portáteis. Isto permitirá pelo menos 25 horas de autonomia total num portátil, valor que não é nada de se deitar fora.

Entretanto, a memória será LPDDR4X, e a Intel está a declarar enormes ganhos em inteligência artificial.

O anúncio destes novos SoC é um grande triunfo para a Intel, que parecia definitivamente fora da litografia de 10nm por mais algum tempo, mas ao mostrar um computador funcional com um Ice Like, a Intel volta ao topo e mostra que ainda está no jogo. Esperar até ao final do ano pode parecer muito, por isso vamos manter-nos atentos.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here